LEIA MAIS@ 22/01/2021 - 13h28 | Atletas da Série D punidos
LEIA MAIS@ 20/01/2021 - 12h19 | Auditor agenda oitivas para apurar injúria na Série A
LEIA MAIS@ 19/01/2021 - 18h36 | STJD destina transações para ajuda a Manaus
LEIA MAIS@ 19/01/2021 - 13h14 | Avaí pede impugnação da partida contra o CSA
LEIA MAIS@ 19/01/2021 - 10h18 | Relator concede efeito suspensivo a Lisca

Zagueiro do Corinthians pega dois jogos
30/11/2020 19h50 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

A Primeira Comissão Disciplinar do STJD do Futebol puniu a conduta do atleta Bruno Méndez, do Corinthians na partida contra o Athletico/PR. Denunciado por praticar agressão física, o zagueiro corintiano teve a conduta desclassificada para ato hostil e recebeu a pena de duas partidas de suspensão. A decisão, proferida por unanimidade dos votos, cabe recurso e deve chegar ao Pleno.

Bruno Méndez recebeu o vermelho direto por, segundo narrado na súmula, conduta violeta ao golpear com o braço o rosto do seu adversário fora da disputa de bola. O fato gerou denúncia ao atleta por infração ao artigo 254-A do CBJD por praticar agressão física na partida.

De acordo com o Procurador presente na sessão virtual, Giovani Mariot a conduta foi bem capitulada e merece ser punida. “Vale destacar que, além da clareza da súmula, da riqueza do acervo probatório, sobretudo pelo vídeo que corrobora com o teor da súmula, que ocorreu um lance fora da disputa de bola. O atleta adversário passa pelo denunciado e é golpeado exatamente como o árbitro descreveu com o braço direito no rosto. A intervenção do árbitro foi precedida inclusive pela análise do VAR e não houve margem para dúvida em conta do acerto da expulsão com o vermelho direto. Infelizmente aquele comportamento encontra-se perfeitamente tipificado na hipótese do artigo 254-A de que vale insistir deve ser provida da maneira que foi apresentada e proposta”, concluiu o Procurador em sua sustentação.

Pelo Corinthians o advogado João Zanforlin pediu a desclassificação para ato hostil e a aplicação da pena mínima a Bruno. “O artigo 254-A fala em praticar agressão física e exemplifica em desferir dolosamente soco, cotovelada, cabeça ou golpe similar de forma contundente ou assumindo risco de causar dano. A imagem mostra que ele usa o antebraço e empurra a cabeça do adversário. Não é caso para se aplicar o artigo 254-A com pena prevista de quatro a 12 partidas. Estamos pedindo a desclassificação para o 250 que é ato hostil durante a partida e que diz claramente empurrar acintosamente um companheiro ou adversário fora da disputa de bola. Se ficarmos com o relatório do árbitro com tudo que acontece aos 31 minutos o jogador do Corinthians deverá ser absolvido por agir em legítima defesa. Problema gravíssimo que a arbitragem não soube relatar como de fato aconteceu. A defesa pede a desclassificação para o artigo 250 e aplicação da pena mínima convertida em advertência”, concluiu.

Relator do processo, o auditor Ramon Rocha acompanhou em parte o entendimento da defesa. “Estou convencido de que houve um soco e que foi desferido de forma dolosa, mas de fato não houve contundência.  Uma vez ausente a contundência concordo com ato hostil. Aplico o artigo 250 e, com as circunstâncias atenuantes, aplico duas partidas de suspensão a Bruno Méndez”, explicou.

Os auditores Miguel Cançado e João Rafael Soares acompanharam na desclassificação e aplicação de dois jogos de suspensão.

Terceiro a votar, o auditor Fernando Cabral Filho acrescentou. “Para mim não é agressão, mas está fora da disputa de bola. Para mim a aplicação da conduta iria para o artigo 250 que é praticar ato hostil. Fixaria a pena base em três partidas e, pelo fato de ser primário, chegaria a uma pena de duas partidas”, justificou.

Presidente da Primeira Comissão Disciplinar, o auditor Alcino Guedes também votou pela desclassificação e punição do zagueiro do Corinthians em duas partidas de suspensão no artigo 250 do CBJD.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.