LEIA MAIS@ 16/01/2020 - 13h55 | Procuradoria arquiva NI e verifica fraude
LEIA MAIS@ 09/01/2020 - 13h01 | Pleno não conhece Medida do Londrina
LEIA MAIS@ 06/01/2020 - 11h51 | Pleno confirma primeira sessão de 2020
LEIA MAIS@ 18/12/2019 - 23h08 | Recesso 2019/2020
LEIA MAIS@ 13/12/2019 - 18h43 | Pleno: Sessão na próxima quarta

Vasco ingressa com pedido de impugnação
15/07/2019 18h20 | STJD

Daniela Pinho
a A

O jurídico do Vasco da Gama ingressou na noite desta segunda, dia 15 de julho, com pedido de impugnação de partida contra o Grêmio, pela 10ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. O Vasco alega erro de direito na anulação incorreta do segundo gol do clube carioca em desacordo com as Regras de Futebol e com o Manual para Árbitros Assistentes de Vídeo (VAR). O pedido foi encaminhado para análise do Presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho.

De acordo com o documento, após a confirmação do gol pelo árbitro da partida, Rodolfo Toski Marques, antes da partida ser reiniciada pela equipe do Grêmio, o árbitro principal foi solicitado pelo árbitro de vídeo para que a jogada fosse revista e, após análise, anulou o gol.

Ainda segundo o documento ingressado pelo Vasco, a jogada que foi revisada não está enquadrada nas hipóteses de revisão pelo VAR descritas no item 3 do Manual para Árbitros Assistentes de Vídeo.

No entendimento do clube não resta dúvida que a utilização do árbitro de vídeo na jogada foi feita em total desacordo com o regulamento e fora dos limites impostos pelas entidades de administração do desporto, caracterizando, dessa forma, a ocorrência chamada ERRO DE DIREITO, erro necessário para ingressar com o pedido de impugnação, e interferindo diretamente no resultado final da partida.

Desta forma, o Vasco solicita a não homologação do resultado da partida e a possibilidade de acolhimento da anulação e, por razões óbvias, que não sejam computados os cartões amarelos apresentados aos jogadores e que seja determinado ofício para a CBF para juntada de todos os relatórios do VAR (áudio e vídeo) da partida no prazo de 48h.

Recebida a impugnação a secretaria remeteu o pedido para análise do Presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho. 


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.