LEIA MAIS@ 06/12/2019 - 18h01 | Presidente nega liminar do Cruzeiro
LEIA MAIS@ 05/12/2019 - 18h20 | Presidente indefere pedido do Avaí
LEIA MAIS@ 05/12/2019 - 17h33 | Comissão multa Botafogo e Flamengo
LEIA MAIS@ 05/12/2019 - 12h55 | Pleno majora multa do Náutico por invasão
LEIA MAIS@ 05/12/2019 - 11h41 | Pleno reforma decisão de integrantes do Fluminense

Sub-20: Sport punido por escalação irregular
28/11/2019 20h13 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

A Quinta Comissão Disciplinar julgou o Sport por escalação irregular no Campeonato Brasileiro sub-20 e seu atleta Pedro Henrique Nunes da Silva por descumprir decisão da Justiça Desportiva. Em julgamento realizado na noite desta quinta, dia 28 de novembro, o clube foi punido com a perda de quatro pontos e multa de R$ 100 e o atleta absolvido. A decisão foi proferida por unanimidade dos votos e cabe recurso.

A Procuradoria recebeu a comunicação de irregularidade da Diretoria de Competições da CBF afirmando que o atleta Pedro Henrique Nunes da Silva possuía uma partida de suspensão a cumprir e não poderia ter entrado em campo nas partidas realizadas nos dias 12 e 19 de novembro, válidas pela Campeonato Brasileiro sub-20.

Por entrar em campo em duas partidas o Sport foi denunciado por dupla infração ao artigo 214 do CBJD por incluir na equipe atleta em situação irregular e o atleta denunciado duas vezes por deixar de cumprir punição da Justiça Desportiva descrita no artigo 223 do CBJD.

Esclarecendo os fatos e em defesa do Sport, o advogado Osvaldo Sestário juntou prova documental sustentando que na partida subsequente a expulsão o atleta cumpriu a automática.

“No primeiro jogo da Copa do Nordeste sub-20 colocaram ele para cumprir a automática. Houve julgamento e punição no dia 8 de novembro e colocaram ele para jogar no jogo seguinte e no outro. Para o clube ele já havia cumprido a automática na Copa do Nordeste.  Houve o erro do clube que não se justifica, mas que comprova que não houve má fé. A defesa entende também que houve uma única infração e não há de se falar em duas”, disse.

No entendimento do relator do processo, Auditor Eduardo Mello, houve uma única infração pelo clube. “Não acho que o atleta deixou de cumprir e cometeu infração ao artigo 223. Absolvo o atleta nas duas denúncias. Em relação ao artigo 214 entendo que houve apenas uma única infração ao artigo. Voto pela perda de quatro pontos, sendo três pontos válidos na partida e um conquistado com o empate, e multa de R$ 100”, explicou o relator.

Os Auditores Flavio Boson, Maurício Neves, Fernando Cabral Filho e o presidente em exercício, Auditor Otacílio Araújo, acompanharam na íntegra o voto do relator do processo.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.