LEIA MAIS@ 06/08/2020 - 20h14 | Auditores do STJD participam de Workshop
LEIA MAIS@ 05/08/2020 - 18h05 | ENAJD realiza 1º Workshop da nova Procuradoria
LEIA MAIS@ 30/07/2020 - 15h46 | STJD: Conheça o novo Procurador-Geral, Ronaldo Botelho Piacente
LEIA MAIS@ 30/07/2020 - 14h30 | Corregedor Regional oficia TJD/PR e FPF
LEIA MAIS@ 29/07/2020 - 14h25 | STJD: Conheça o auditor Mauro Marcelo de Lima e Silva

STJD: Conheça o auditor Maurício Neves Fonseca
17/07/2020 18h01 | STJD

Arquivo pessoal
a A

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol tem uma nova composição para a gestão 2020/2024. Após anunciar o presidente Otávio Noronha e o novo diretor da ENAJD, auditor Paulo Feuz, o site do STJD apresentará a cada dia um auditor que integra o novo Pleno. Nesta sexta, dia 17, é a vez do auditor Maurício Neves Fonseca.

Maurício Neves Fonseca é formado em direito pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Na área profissional atua há mais de 20 anos como diretor jurídico de um Shopping de São Paulo; é membro de Comitês Jurídicos de várias entidades empresariais e ex-membro da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP.

No âmbito desportivo Maurício iniciou no Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo onde presidiu a Terceira Comissão Disciplinar do órgão e depois integrou o Pleno.

Indicado a integrar o STJD pela Confederação Brasileira de Futebol, Maurício Neves comentou sobre a chegada a corte máxima desportiva nacional e afirmou que seu objetivo é lutar contra a violência no futebol e qualquer tipo de discriminação.

“É um grande desafio ocupar uma cadeira no principal órgão judicante do futebol brasileiro, com a imensa responsabilidade de pacificar os litígios decorrentes dessa paixão nacional. Tenho como meta o enfrentamento da violência no futebol, objetivando estabelecer uma convivência civilizada no ambiente desportivo, bem como o combate a qualquer tipo de discriminação étnica, racial, sexual, condição de idade, em especial contra a pessoa idosa ou portadora de deficiência, conforme preconiza o artigo 243-G do CBJD”, disse Maurício.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.