LEIA MAIS@ 07/12/2018 - 12h56 | Vasco, presidente e técnico punidos
LEIA MAIS@ 07/12/2018 - 10h06 | Pleno multa e bane Amadeu Rodrigues
LEIA MAIS@ 06/12/2018 - 12h37 | Palmeiras x Ceará: penas de Mattos e Lisca majoradas
LEIA MAIS@ 04/12/2018 - 21h18 | Pleno do STJD debate em Workshop do novo CBJD
LEIA MAIS@ 04/12/2018 - 14h05 | Processo de Amadeu Rodrigues é reagendado

Processo de Amadeu Rodrigues é reagendado
04/12/2018 14h05 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

O Pleno do STJD do Futebol confirmou para a próxima quinta, dia 6 de dezembro, a conclusão do julgamento do ex-presidente da Federação Paraibana de Futebol, Amadeu Rodrigues, por suposto envolvimento na Operação Cartola. Adiado na última sessão, o processo retorna com videoconferência para depoimento das testemunhas de defesa. O caso será concluído na sede do TJD/SP a partir das 14h, na Avenida Marquês de São Vicente nº576, 18º andar, conjunto 1809 e 1810 – Barra Funda.

Entenda o caso:

A Procuradoria denunciou o maior esquema de corrupção e manipulação de resultados na história do futebol brasileiro denominada como “Operação Cartola”. Com início através de um inquérito, o caso se desdobrou em um processo criminal que, no momento, possui mais de oito volumes, mais de vinte mil horas de gravações telefônicas e inúmeras provas e documentos onde o então presidente da Federação Paraibana e demais denunciados foram afastados das atividades relacionadas ao futebol.

De acordo com a investigação Amadeu Rodrigues da Silva Junior, então presidente da Federação Paraibana de Futebol, “gerenciava acordos diretamente com dirigentes de diversos clubes de futebol, adulterando súmulas de jogos, participando de manipulações de resultados” entre outras condutas infracionais.

Com acesso aos documentos e provas a Procuradoria da Justiça Desportiva denunciou 27 envolvidos. Em julgamento no Pleno realizado no último dia 14 de novembro, 26 foram julgados e 24 punidos. Apenas Amadeu não pode ser julgado para correção na intimação.

De volta a pauta, Amadeu foi enquadrado por infração aos artigos 161-A; 163; 179; 234; 237; 238; 239; 241; 242; 243-A; 243- B; 282 e 283 todos do CBJD c/c Arts. 61; 62; 68-B e 69 do Código Disciplinar da FIFA e Art. 32 do Estatuto do Torcedor.

Presente no julgamento, Amadeu afirmou discordar de todas as acusações que foram feitas pelo Ministério Público e que irá comprovar. O ex-presidente afirmou ainda que não há nenhuma gravação dele conversando com árbitro ou presidente de clube. Amadeu acrescentou ainda: “Não existia manipulação de resultados. Nunca tive conhecimento. Desconheço qualquer tipo de manipulação no Campeonato Paraibano”.

Eduardo Araújo, defensor do ex-mandatário do futebol paraibano, pediu para ouvir testemunhas por videoconferência consideradas importantes para o esclarecimento dos fatos. O pedido foi deferido pelo relator do processo, Auditor Décio Neuhaus.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.