LEIA MAIS@ 03/12/2021 - 19h20 | Gre-Nal: Patrick e Bruno Cortês punidos
LEIA MAIS@ 03/12/2021 - 17h15 | Deyverson, Fred e Dudu punidos
LEIA MAIS@ 03/12/2021 - 13h45 | Athlético absolvido
LEIA MAIS@ 02/12/2021 - 15h55 | STJD finaliza intervenção no TJD/MT
LEIA MAIS@ 02/12/2021 - 12h34 | FLA x BAH: Comissão pune infrações

Luxemburgo tem Transação homologada
25/10/2021 17h02 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

Vice-presidente administrativo do STJD do Futebol, o auditor Felipe Bevilacqua homologou na tarde desta segunda, dia 25 de outubro, Transação Disciplinar ao técnico Vanderlei Luxemburgo, do Cruzeiro. Por desrespeitar a arbitragem na partida contra o Operário, o treinador acolheu Transação de multa de R$ 10 mil, sendo metade do valor convertido em medida de interesse social.

Em partida da Série B do Brasileiro, o Cruzeiro recebeu o Operário no dia 16 de setembro. Com um gol anulado no minuto final e, após muita confusão, o técnico Vanderlei Luxemburgo foi expulso. Na súmula o árbitro narrou que Luxemburgo se dirigiu a arbitragem dizendo: “Você está mal-intencionado, quem deveria ser expulso é você, seu safado, é isso que vocês queriam”, escreveu.

Antes de denunciar o treinador, a Procuradoria apresentou proposta de Transação Disciplinar para aplicação imediata da pena de multa no valor de R$ 10 mil por infração ao artigo 258, inciso II, do CBJD por reclamar desrespeitosamente contra as decisões da arbitragem. Metade do valor será pago em medida de interesse social para a Instituição Creche Escola Arco-íris e os outros R$ 5 mil em boleto diretamente para a CBF.

A proposta foi acolhida pelo Cruzeiro e homologada pelo auditor-relator do Pleno, Felipe Bevilacqua.

Confira abaixo a comunicação enviada ao clube:

“De ordem do Dr. Auditor  Relator, Dr. Felipe Bevilacqua de Souza deste Superior Tribunal de Justiça, referente  Recurso Voluntário sob nº processo nº313/2021 – Proposta de transação disciplinar: Técnico do EC Cruzeiro, Vanderlei Luxemburgo, informo que, através de despacho, foi homologada a transação”.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.