LEIA MAIS@ 21/09/2020 - 11h57 | Geromel denunciado por jogada violenta
LEIA MAIS@ 21/09/2020 - 10h20 | Potker em pauta da Quinta Comissão
LEIA MAIS@ 20/09/2020 - 14h09 | STJD nega pedido de adiamento da Caldense
LEIA MAIS@ 19/09/2020 - 18h45 | Presidente indefere pedido do Palmas
LEIA MAIS@ 18/09/2020 - 14h23 | Relator concede efeito suspensivo a Jô

Jô em pauta na Primeira Comissão
09/09/2020 17h20 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol agendou o julgamento de Jô, do Corinthians. Na próxima segunda, dia 14 de setembro, o atacante será julgado pela Primeira Comissão Disciplinar por dar um soco nas costas de Diego Costa, do São Paulo.  Jô foi denunciado por praticar agressão física prevista no artigo 254-A do CBJD e que pode gerar suspensão entre quatro e 12 jogos. A sessão, que será virtual e transmitida ao vivo no site do STJD do Futebol, está agendada para às 14h.

Entenda o caso:

A infração foi cometida no clássico entre São Paulo e Corinthians, pela sexta rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. No segundo tempo da partida o atacante Jô desferiu um soco nas costas do zagueiro Diego Costa. Embora o fato não tenha sido visto pela arbitragem e não tenha sido citado na súmula, a Procuradoria teve acesso as imagens.

Após análise a Procuradoria se baseou no artigo 58-B do Código Brasileiro de Justiça Desportiva para denunciar o atacante. O parágrafo único do artigo destaca que “em caso de infrações graves que tenham escapado à atenção da equipe de arbitragem, ou em caso de notório equívoco na aplicação das decisões disciplinares, os órgãos judicantes poderão, excepcionalmente, apenar infrações ocorridas na disputa de partidas”.

Para a Procuradoria o atacante do Corinthians “de maneira dolosa praticou a infração imputada, ou seja, teve a vontade livre e consciente de agredir fisicamente, com uso soco nas costas, o atleta adversário, durante a partida”.

Nesse sentido, Jô foi denunciado no artigo 254-A do CBJD por praticar agressão física e corre risco de suspensão de quatro a 12 partidas.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.