LEIA MAIS@ 23/10/2020 - 13h01 | Rafael Bastos suspenso e multado
LEIA MAIS@ 22/10/2020 - 12h32 | Atleta do Audax punida por agressão
LEIA MAIS@ 21/10/2020 - 14h56 | Presidente não recebe impugnação do Grêmio
LEIA MAIS@ 21/10/2020 - 11h20 | Terceira Comissão: sessão cancelada
LEIA MAIS@ 20/10/2020 - 20h33 | Presidente indefere pedido do São Paulo

FOR x GRE: atletas e auxiliar técnico punidos
07/10/2020 17h12 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

A forte discussão entre os atletas Luiz Fernando, do Grêmio, e Gabriel Dias, do Fortaleza, gerou uma partida de suspensão aos atletas no STJD do Futebol. Denunciados por conduta contrária à disciplina os atletas foram julgados pela Terceira Comissão Disciplinar e receberam a pena mínima prevista no artigo. O auxiliar do Fortaleza, Charles Hembert foi julgado por expulsão na mesma partida e punido com duas partidas de suspensão por desrespeitar a arbitragem. A decisão foi proferida na tarde desta quarta, dia 7 de outubro, e cabe recurso.

Fortaleza e Grêmio se enfrentaram pela 10ª rodada da Série A. Aos 25 minutos do segundo tempo, Luiz Fernando discutiu forte com o lateral do Fortaleza, Gabriel Dias. Os dois atletas chegaram a tocar cabeças gerando o início de uma confusão. Os ânimos se acalmaram após os atletas serem expulsos.

Charles também recebeu o cartão vermelho. No início do segundo tempo o auxiliar do técnico Rogério Ceni reclamou de forma irônica e, segundo a súmula, afirmou que a arbitragem brasileira é uma vergonha.

Os atletas foram denunciados por conduta antidesportiva prevista no artigo 258, caput e o auxiliar no inciso II do artigo 258 por desrespeitar a arbitragem.

Para a advogada do Fortaleza, houve apenas uma discussão normal de jogo entre os atletas e o auxiliar desabafou sem direcionar ou desrespeitar. “Ao Gabriel a defesa fez questão de mostrar em forma de boa-fé o vídeo. Troca de farpas normal entre os atletas. No entender da defesa a Procuradoria acertou ao capitular no artigo 258. O episódio foi na metade do segundo tempo e ficou de fora do restante da partida, além da automática. O auxiliar Charles desabafou de forma geral e não quis desrespeitar a arbitragem. A defesa pede que seja levado isso em consideração uma vez que não xingou e nem ofendeu”, sustentou.

Loasse Blange defendeu o atacante do Grêmio. “Para a defesa do Grêmio causou surpresa o relato na súmula as palavras idênticas narradas como dito pelos atletas. Realmente foi uma troca de farpas. O árbitro logo veio e, numa medida desesperada, distribuiu cartões vermelhos para acalmar o jogo. A defesa entende que foi calor de momento num jogo que as equipes precisavam vencer”, disse a advogada antes de pedir a absolvição do atacante.

O relator do processo, auditor Cláudio Diniz levou em consideração a ficha disciplinar de Charles e aplicou dois jogos de suspensão ao auxiliar do Fortaleza. Logo após votou quanto aos atletas. “Os atletas foram expulsos pela troca de agressões verbais. Entendo por bem em condenar ambos os atletas a pena de duas partidas de suspensão”, justificou.

Vice-presidente da Comissão, o auditor Éric Chiarello acompanhou o relator quanto ao assistente do Fortaleza e divergiu na pena aos atletas para aplicar uma partida e converter em advertência a cada um.

O auditor Rodrigo Raposo acompanhou o voto da divergência, mas não converteu a suspensão de uma partida em advertência. O mesmo voto foi dado pelo auditor Bruno Tavares e pelo presidente Luis Felipe Procópio.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.