LEIA MAIS@ 14/10/2019 - 19h40 | Fla entra com liminar para liberação de Reinier
LEIA MAIS@ 14/10/2019 - 14h50 | Flu: Atletas, Oswaldo, gerente, gandula e clube punidos
LEIA MAIS@ 11/10/2019 - 15h17 | Náutico multado por arremesso e invasão de campo
LEIA MAIS@ 11/10/2019 - 12h02 | Inter: Comissão adverte Bruno e suspende Guerrero e Melo
LEIA MAIS@ 10/10/2019 - 15h57 | Pleno pune Decisão/PE por descumprir regulamento

Flu x Santos: Procuradoria denuncia 11
10/10/2019 10h40 | STJD

Divulgação / STJD
a A

A Primeira Comissão Disciplinar do STJD julgará na próxima segunda, dia 14 de outubro, as ocorrências na partida entre Fluminense e Santos, pela Série A do Campeonato Brasileiro. Ao todo 11 denunciados estão em pauta: atletas, treinador, integrantes da diretoria do clube carioca, Fluminense, Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e um gandula. A sessão está agendada para iniciar às 11h30, no plenário do STJD.

Fluminense e Santos se enfrentaram no Maracanã em partida que marcou a 21ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. A partida foi marcada pela expulsão dos atletas Digão e Frazan, do Fluminense, e do Marinho, do Santos, além da discussão entre o atleta Ganso e o técnico Oswaldo de Oliveira, ofensas de dirigentes ao quarteto de arbitragem e a expulsão de um gandula.

Com base na súmula, de vídeos da transmissão da partida e de matérias jornalísticas, a Procuradoria denunciou todas ocorrências. Confira abaixo cada denunciado e os artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva em que foram enquadrados.

Digão, atleta do Fluminense: O zagueiro deixou o pé no rosto de Marinho após dividida e acabou expulso com vermelho direto aos 26 minutos do segundo tempo. Denunciado no artigo 254-A do CBJD por agressão, o jogador corre risco de suspensão por quatro a 12 jogos.

Frazan, atleta do Fluminense: O zagueiro também foi expulso por falta em Marinho. Por entrada dura o camisa 13 foi denunciado por jogada violenta prevista no artigo 254 do CBJD e que tem como pena a suspensão de uma a seis partidas.

Marinho, atleta do Santos: O jogador cometeu faltas aos 50 e 54 minutos do segundo tempo e recebeu amarelo pelas duas condutas. O segundo amarelo foi aplicado a Marinho pela entrada dura nas pernas do adversário João Pedro. Marinho foi denunciado no artigo 258 e a pena é de uma a seis partidas de suspensão.

Fernando Simone, Gerente de Futebol; Rodrigo Henriques, Supervisor; Allan Neiva, Auxiliar de supervisão: Os integrantes do Fluminense foram denunciados por ofender a equipe de arbitragem após a partida. De acordo com a súmula, os três denunciados dirigiram xingamentos ao quarteto de arbitragem quando a mesma se dirigia ao vestiário próximo a área mista. Palavras como vagabundos, safados, pilantras, ladrão, filho da p* , foram narradas no relatório pela arbitragem. Todos foram denunciados no artigo 243-F do CBJD e a pena é de multa entre R$ 100 e R$ 100 mil e suspensão pelo prazo de 15 a 90 dias.

Paulo Henrique Ganso: O camisa 10 do Fluminense foi denunciado pela conduta após ser substituído na partida. Na saída de campo Ganso xingou o então técnico do clube, Oswaldo de Oliveira e o chamou de burro em tom provocador e desrespeitoso. A Procuradoria enquadrou o camisa 10 por ofensa descrita no artigo 243-F e que prevê suspensão de até seis jogos e multa que pode variar entre R$ 100 e R$ 100 mil.

Oswaldo de Oliveira: O então técnico do Fluminense responderá no STJD por responder o jogador Ganso chamando o atleta de vagabundo e pela conduta contra torcedores do clube ao fazer gestos obscenos.  Oswaldo foi enquadrado no artigo 243-F por ofensa e no artigo 258-A por provocar a torcida. O primeiro ato prevê suspensão de até seis jogos e multa entre R$ 100 e R$ 100 mil, enquanto o segundo ato pode gerar suspensão por duas a seis partidas.

Fluminense: O clube responderá pela conduta de seus integrantes no artigo 258-D e por descumprir o regulamento no artigo 191, inciso III. A responsabilização do clube pela ação de seus integrantes pode render multa de até R$ 10 mil ao clube. Já no artigo 191 o clube foi denunciado pela ação de um gandula do seu quadro. A pena por descumprimento é de multa que pode variar entre R$ 100 e R$ 100 mil.

Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ): De acordo com o RGC, Regulamento Geral de Competições, compete a Federação supervisionar o quadro de gandulas das partidas. Enquadrada no artigo 191, inciso III, a FERJ corre risco de multa entre R$ 100 e R$ 100 mil.

Gandula Gerorge Allan Nascimento Moura: Expulso pela arbitragem por não cumprir as determinações na reposição das bolas, o gandula também responderá ao artigo 191, inciso III do CBJD e, se punido, por ter que pagar multa.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.