LEIA MAIS@ 14/10/2019 - 19h40 | Fla entra com liminar para liberação de Reinier
LEIA MAIS@ 14/10/2019 - 14h50 | Flu: Atletas, Oswaldo, gerente, gandula e clube punidos
LEIA MAIS@ 11/10/2019 - 15h17 | Náutico multado por arremesso e invasão de campo
LEIA MAIS@ 11/10/2019 - 12h02 | Inter: Comissão adverte Bruno e suspende Guerrero e Melo
LEIA MAIS@ 10/10/2019 - 15h57 | Pleno pune Decisão/PE por descumprir regulamento

Inter: integrantes em pauta por infrações contra o Flamengo
08/10/2019 17h46 | STJD

Divulgação / STJD
a A

A Quarta Comissão Disciplinar do STJD do Futebol julgará na próxima sexta, dia 11 de outubro, as expulsões e ocorrências na partida entre Flamengo e Internacional, pela Série A do Campeonato Brasileiro. Os atletas Bruno Vieira e Guerrero responderão pelas expulsões em campo. Também denunciados, Roberto Melo, vice-presidente do Inter, e o técnico Odair Hellmann foram denunciados por declarações após a partida. A sessão está prevista para iniciar às 10h.

Pela 21ª rodada o Flamengo recebeu o Internacional no Maracanã. A partida encerrou com o placar de 3 a 1 para o mandante e com o time visitante com dois jogadores a menos.

Bruno Vieira foi expulso ainda no primeiro tempo por agarrar o adversário Gabriel Barbosa dentro da área penal. O lateral do Internacional recebeu o vermelho direto após o árbitro principal ter visualizado as imagens do VAR – árbitro de vídeo.

No segundo tempo, Guerrero foi expulso com vermelho direto por ofender a arbitragem.  De acordo com a súmula, o jogador xingou a arbitragem com o dedo em riste e precisou ser contido por seus companheiros de equipe. Imagens da transmissão da partida mostraram ainda gestos obscenos do atleta para a torcida antes de deixar o campo de jogo.

Após a partida, Roberto Melo, vice-presidente do Inter, e o técnico Odair Hellmann concederam entrevistas criticando de forma desrespeitosa a atuação da arbitragem principal e do árbitro de vídeo (VAR).

"Enquanto o seu Gaciba estiver na CBF, não pretendo ir (pedir áudios do VAR). Ele fala uma coisa, se exibe, faz apresentação, caga regra e é feita uma coisa totalmente diferente. Por que em três gols nossos contra a Chapecoense todos tiveram a intervenção? Hoje, (o VAR) sequer foi chamado. Qual a orientação que eles tinham? E os lances todos duvidosos foram a favor do Flamengo, ou contra o Inter. Causa indignação. Porque jogar nove contra 12 é duro", disparou o vice-presidente, que ainda acrescentou.

“É uma vergonha. O Flamengo não precisa disso, vem fazendo grandes jogos, liderando o campeonato. Não digo que ele esteja mal intencionado no sentido de nos prejudicar deliberadamente. O que ele fez é vergonhoso. Porque seu Gaciba faz umas papagaiadas, vai aos clubes, faz apresentação, se exibe, se filma como se fosse ator apresentando. Ele diz uma coisa e acontece outra”, esbravejou Roberto Melo.

"Passei mais de um ano sem comentar sobre arbitragem. Quem deveria estar dando explicação aqui era o Luiz Flávio e o (Leonardo) Gaciba (chefe de arbitragem da CBF). O VAR passeou hoje no Maracanã. Aí, muda a história do jogo", declarou Odair Hellmann.

Artigos denunciados:

Com base na súmula e em imagens da partida, a Procuradoria denunciou os infratores com base no Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD):

Bruno Vieira: o lateral foi enquadrado no artigo 250 por praticar ato desleal ou hostil. Apena é de suspensão que pode variar entre uma e três partidas.

Guerrero: O atacante responderá por dupla ofensa a arbitragem no artigo 243-F e no artigo 258-A por provocar o público durante a partida. Pelas ofensas o jogador pode ser multado em até R$ 100 mil e suspensão de até seis jogos, por infração. Já pela provocação a pena é de duas a seis partidas.

Roberto Melo: O vice-presidente será julgado por dupla infração, sendo no artigo 258, inciso II por desrespeitar a arbitragem e no artigo 243-F por ofensa. Pelo desrespeito, a pena é de suspensão 15 a 180 dias, enquanto a ofensa prevê multa entre R$ 100 e R$ 100 mil e suspensão que pode variar entre 15 e 90 dias.

Odair Hellmann: O treinador do Inter será julgado por desrespeitar a arbitragem na entrevista concedida após o jogo. O artigo 258, inciso II tem como punição a suspensão entre uma a seis partidas.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.