LEIA MAIS@ 06/12/2019 - 18h01 | Presidente nega liminar do Cruzeiro
LEIA MAIS@ 05/12/2019 - 18h20 | Presidente indefere pedido do Avaí
LEIA MAIS@ 05/12/2019 - 17h33 | Comissão multa Botafogo e Flamengo
LEIA MAIS@ 05/12/2019 - 12h55 | Pleno majora multa do Náutico por invasão
LEIA MAIS@ 05/12/2019 - 11h41 | Pleno reforma decisão de integrantes do Fluminense

FLA X COR: Confusão do sub-20 punida
28/11/2019 19h39 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

Os Auditores da Quinta Comissão Disciplinar do STJD julgaram nesta quinta, dia 28 de novembro, a confusão generalizada ocorrida após o fim da partida entre Flamengo e Corinthians, pela semifinal Sub-20 do Campeonato Brasileiro. Por maioria dos votos, o Corinthians foi multado em R$ 10 mil por rixa e teve seus atletas Raul Gustavo punido com 10 partidas de suspensão por agressão; Léo com quatro jogos por conduta antidesportiva; Roni suspenso por três partidas por conduta antidesportiva; gerente Fernando Yamada suspenso por 45 dias por desrespeito, enquanto o Flamengo foi multado em R$ 10 mil por rixa e R$ 250 por atraso e teve seu atleta Hugo absolvido. A decisão cabe recurso.

Em sessão, o Procurador Marcus Vinicius justificou a denúncia e o pedido de punição exemplar aos envolvidos na confusão. “O gerente, no fim do primeiro tempo, ter que ser contido por seguranças e um mal exemplo para jovens atletas. Na confusão o goleiro Hugo pode ter feito algum gesto que não ficou claro. Sei que o jogador do Corinthians acerta com um tapa e começa a confusão. Quando o Raul da um soco transforma em generalizado. Para mim, o árbitro relata muito bem os fatos. Pelo menos uns cinco de cada time trocam agressões. Temos que punir para não acharem que é normal. Não podemos passar a mão na cabeça desses jovens. Esse jogo passou para o Brasil todo envolvendo as duas maiores torcidas do país”, finalizou o procurador.

Já as defesas destacaram que não houve rixa uma vez que houve a devida identificação e denúncia de diversos envolvidos.

Rodrigo Frangeli, advogado do Flamengo, foi o primeiro a sustentar. “O Hugo foi vítima e fiquei surpreso com a denúncia contra ele. Só houve uma confusão no início e depois foi o oba-oba, o deixa disso. Não houve rixa. Não há dúvida que houve o soco do Raul e quem empurrou também não é rixa e é identificável. Todo o processo se resume ao soco do Raul. O atleta Hugo não há como saber se houve a provocação. O Hugo apanhou, foi agredido, encurralado, vítima. Ele sofreu uma fratura em duas partes no nariz e temos laudo nos autos. O Hugo levou um golpe de profissional, cai e levanta atordoado tentando se defender e reage da injusta agressão física. Não se pode exigir outra conduta dele que não se defender. Peço a absolvição do atleta que foi agredido de forma covarde. A prova de vídeo mostra os atletas do Flamengo recuando. Peço também a absolvição do clube”, encerrou.

Pelo Corinthians o advogado João Zanforlin lamentou os fatos e afirmou que os atletas foram punidos pelo clube. “Corinthians e Flamengo são times irmãos e isso jamais poderia ter acontecido. Os atletas do Corinthians foram multados e visitaram a uma instituição. O Raul não estava praticando atividade futebolística. Foi realmente descontrolado e agiu dessa maneira. O goleiro Hugo é muito forte. O Corinthians quer aproveitar o Léo no time profissional. Ele não deu nem um tapinha. Se olharmos as imagens trazidas pela Procuradoria muito mais gente deveria ser denunciada. Pedimos que sejam complacentes com Léo e o Roni. O Raul deve ser punido pelo seu ato, mas se arrependeu e pediu desculpas. Os atletas foram identificados e o clube não deve ser punido. Quanto ao gerente que leve em consideração que é primário”, concluiu.

Logo após as sustentações o presidente em exercício, Auditor Otacílio Araújo colheu os votos dos Auditores presentes. Por maioria, multado Flamengo e Corinthians em R$ 10 mil por rixa prevista no artigo 257 do CBJD; suspenso por 10 jogos o atleta Raul Gustavo por agressão física no artigo 254-A do CBJD; suspenso por quatro partidas o atleta Léo por conduta antidesportiva no artigo 258 do CBJD; suspenso por três partidas o atleta Roni por conduta antidesportiva no artigo 258 do CBJD; suspenso por 45 dias o gerente de futebol do Corinthians, Fernando Yamada por conduta contrária à disciplina no artigo 258 do CBJD; multado em R$ 250 o Flamengo no artigo 206 do CBJD por atrasar em um minuto na entrada da equipe e absolvido o atleta Hugo, goleiro do Flamengo, na denúncia por rixa prevista no artigo 257 do CBJD.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.