LEIA MAIS@ 14/10/2019 - 19h40 | Fla entra com liminar para liberação de Reinier
LEIA MAIS@ 14/10/2019 - 14h50 | Flu: Atletas, Oswaldo, gerente, gandula e clube punidos
LEIA MAIS@ 11/10/2019 - 15h17 | Náutico multado por arremesso e invasão de campo
LEIA MAIS@ 11/10/2019 - 12h02 | Inter: Comissão adverte Bruno e suspende Guerrero e Melo
LEIA MAIS@ 10/10/2019 - 15h57 | Pleno pune Decisão/PE por descumprir regulamento

Figueirense punido por w.o
04/10/2019 16h02 | STJD

Divulgação / Site STJD
a A

Os Auditores da Quinta Comissão Disciplinar do STJD puniram o Figueirense pelo w.o. na Série B do Campeonato Brasileiro. Além de perder os pontos válidos na partida contra o Cuiabá, o clube foi multado em R$ 3 mil por infração ao artigo 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. A decisão foi proferida por unanimidade dos votos e cabe recurso.

Com salários atrasados e sem um acordo com a diretoria do Figueirense os atletas se negaram a entrar em campo contra o Cuiabá, na Arena Pantanal, no dia 20 de agosto. Até o último minuto um advogado representante dos atletas tentou firmar um acordo com a diretoria.

A Procuradoria denunciou o Figueirense por infração ao artigo 203 do CBJD por "deixar de disputar, sem justa causa, partida, prova ou o equivalente na respectiva modalidade, prova, ou equivalente na respectiva modalidade, ou dar causa à sua não realização ou à sua suspensão”.

Em defesa do Figueirense, o advogado Rodrigo Marrubia apresentou prova documental com a Nota Oficial do clube no dia da partida dando conta que a não realização do jogo foi uma decisão exclusiva dos atletas profissionais relacionados para o confronto e ressaltou que a comissão técnica se apresentou e estava disponível para o jogo.

Relator do processo, o Auditor Flavio Boson entendeu que o clube cometeu a infração denunciada e votou para punir o Figueirense com multa de R$ 3 mil e perda de três pontos na competição, na forma do artigo 56 do Regulamento Geral de Competições. O entendimento e voto do relator foi acompanhado pelos Auditores Otacílio Araújo, Eduardo Mello e pelo Presidente Rodrigo Raposo.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.