LEIA MAIS@ 24/09/2021 - 11h45 | Isla absolvido e Vanderson punido
LEIA MAIS@ 23/09/2021 - 17h55 | Paulo Carneiro: Transação homologada
LEIA MAIS@ 23/09/2021 - 15h01 | Porto Velho denunciado por escalação irregular
LEIA MAIS@ 22/09/2021 - 14h03 | GRE x FLA: Isla e Vanderson denunciados
LEIA MAIS@ 22/09/2021 - 12h42 | Em pauta injúria racial contra Celsinho

Cuca: Relator defere parcial pedido
30/07/2021 15h30 | STJD

Divulgação / Site STJD
a A

Vice-presidente administrativo do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol, Felipe Bevilacqua, despachou na tarde desta sexta, dia 30 de julho, o pedido de efeito suspensivo solicitado pelo Atlético/MG para o técnico Cuca. Relator do processo no Pleno, Bevilacqua deferiu parcialmente o pedido do clube mineiro determinando o cumprimento de dois jogos da suspensão e liberando Cuca das duas últimas partidas até o julgamento do recurso. Ainda não há data para julgamento do processo no Pleno.

Cuca foi julgado e punido com quatro jogos de suspensão por ofender o árbitro Leandro Vuaden na partida contra o Ceará, pela sexta rodada da Série A do Brasileiro. Após a decisão, o jurídico do Atlético/MG ingressou com recurso pedindo a suspensão da punição até o julgamento no Pleno, última instância nacional.

Relator sorteado para acompanhar o processo, o auditor Felipe Bevilacqua deferiu parcialmente o efeito suspensivo após o cumprimento da metade da pena, ou seja, Cuca deverá cumprir dois jogos de suspensão ficando as duas últimas partidas da punição suspensas até o julgamento do recurso no Pleno.

Confira abaixo a comunicação enviada ao Atlético/MG:

“De ordem do Auditor Relator deste Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Dr. Felipe Bevilacqua, referente ao Processo 225/2021 – Recurso Voluntário  - Recorrente: CA Mineiro, em favor de seu técnico Alexi Stival – Recorrido: Terceira Comissão Disciplinar, informo que através de despacho foi deferido parcialmente o efeito suspensivo pleiteado pelo clube, devendo o técnico cumprir 02 (dois) partidas de suspensão para após gozar do efeito suspensivo”.

 


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.