LEIA MAIS@ 23/10/2020 - 13h01 | Rafael Bastos suspenso e multado
LEIA MAIS@ 22/10/2020 - 12h32 | Atleta do Audax punida por agressão
LEIA MAIS@ 21/10/2020 - 14h56 | Presidente não recebe impugnação do Grêmio
LEIA MAIS@ 21/10/2020 - 11h20 | Terceira Comissão: sessão cancelada
LEIA MAIS@ 20/10/2020 - 20h33 | Presidente indefere pedido do São Paulo

Corinthians: Fagner e Danilo Avelar julgados
09/10/2020 16h29 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

O Corinthians teve dois atletas julgados na tarde desta sexta, dia 9 de outubro, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol. Expulsos no clássico com o Palmeiras, Fagner e Danilo Avelar foram julgados pela Primeira Comissão Disciplinar. Por unanimidade dos votos, Fagner recebeu uma partida de suspensão por ato desleal, enquanto Danilo Avelar foi absolvido da denúncia por jogada violenta. A decisão cabe recurso.

Fagner foi expulso com vermelho direto por impedir com o uso da mão uma oportunidade clara e manifesta de gol. Já Danilo Avelar foi expulso com o segundo amarelo após calçar de forma temerária a perna do seu adversário Patrick de Paula na disputa de bola.

A Procuradoria enquadrou Fagner por ato desleal previsto no artigo 250 do CBJD e Danilo Avelar por jogada violenta no artigo 254 do CBJD.

Advogado do Corinthians, João Zanforlin participou do julgamento virtual e iniciou a sustentação em favor do atleta Fagner.  “O Fagner, em ato reflexo, coloca a mão instintivamente na bola. A nova regra do jogo diz que será marcado pênalti e o jogador será expulso. O vídeo mostra pelo rosto do Fagner a tristeza e a certeza que errou. A medida já produziu efeito e, em razão disso, ouso pedir a absolvição do jogador”, disse o advogado, que em seguida defendeu Danilo Avlear.

“Danilo Avelar neste momento está incapacitado ao futebol por pelo menos oito meses. Venho dizendo que o VAR vai desempregar advogados e vai ajudar a Justiça Desportiva. O Danilo já tinha recebido o cartão amarelo. Foi disputar a bola com o Patrick, chega atrasado e acaba acertando a canela do jogador. O VAR revisou o lance e concluíram que não era caso do cartão vermelho direto e sim amarelo. Essa ficha primária do Danilo é exemplar. Zagueiro que está há muito tempo no futebol brasileiro e não teve nenhuma anotação sequer. Que isso seja levado em consideração”, concluiu.

Relator do processo, o auditor Ramon Rocha proferiu seu voto. “Entendo que a conduta do Fagner se encaixa perfeitamente na descrição do artigo 250, inciso I. Além disso, o vídeo juntado pela Procuradoria demonstra com clareza que impediu uma oportunidade clara de gol. Por entender que praticou a conduta do artigo voto pela aplicação de uma partida de suspensão. Ao Danilo Avelar a prova de vídeo deixou claro que não merecia uma reprimenda maior. Voto pela absolvição do segundo denunciado”, justificou.

Os auditores Sérgio Furtado Coelho, Miguel Ângelo Cançado, Fernando Cabral Filho e o presidente Alcino Guedes acompanharam o entendimento e voto do relator na íntegra.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.