LEIA MAIS@ 22/05/2024 - 14h42 | Zagueiro do Vitória punido com suspensão e advertência
LEIA MAIS@ 17/05/2024 - 16h11 | Presidente homologa novo formato de pena do Náutico
LEIA MAIS@ 17/05/2024 - 09h05 | STJD comemora escolha do Brasil para Copa do Mundo Feminina
LEIA MAIS@ 16/05/2024 - 12h00 | Nota de pesar: Apolinho, Greco e Silvio Luiz
LEIA MAIS@ 14/05/2024 - 17h13 | Integrantes do Atlético/GO punidos por infrações na estreia da Série A

Com pedido de vista, julgamento de John Textor é retirado de pauta
09/04/2024 18h42 | STJD

Site STJD
a A

O STJD do Futebol julgou o Botafogo, o vice-presidente Vinicius Assumpção e o atleta Adryelson em grau de recurso. Por unanimidade dos votos, os auditores mantiveram as penas aplicadas em primeiro grau de multa de R$ 5 mil ao clube pelo arremesso de copos no campo, suspensão por 15 dias e multa de R$10 mil por ofensa contra a arbitragem, além da absolvição ao atleta Adryelson. No mesmo processo, o dono da SAF Botafogo teve o processo retirado de pauta após pedido de vista pelo auditor e vice-presidente Felipe Bevilacqua.

Todos os integrantes e a SAF foram denunciados pela Procuradoria por infrações na derrota por 4 a 3 para o Palmeiras, pela 31ª rodada do Brasileirão.

Presidente da SAF, John Textor foi denunciado por invasão (artigo 258-B) e por ofensas praticadas contra a arbitragem, a entidade organizadora do campeonato e seu presidente Ednaldo Rodrigues (artigo 243-F).

Na mesma esfera, o diretor André Mazzuco e o vice Vinicius Assumpção foram enquadrados por ofensa no artigo 243-F.

Auxiliar técnico do clube, Joel Carli foi enquadrado em três artigos por ofensa contra arbitragem (artigo 243-F), conduta contrária à disciplina (artigo 258) e invasão de campo (artigo 258-B).

O atleta Patrick de Paula não atuou na partida, mas foi denunciado por invadir o campo após o fim do jogo (artigo 258-B), enquanto Adryelson foi expulso e denunciado por praticar ato desleal ou hostil na partida (artigo 250).

Já o Botafogo foi denunciado por deixar de prevenir e reprimir lançamento de copos no campo de jogo (artigo 213, inciso III).

Em primeiro grau o Botafogo foi multado em R$ 5 mil, Adryelson foi absolvido, Vinicius Assumpção multado em R$10 mil e suspenso por 15 dias e John Textor suspenso por 35 dias e multado em R$ 25mil.

Após julgamento, John Textor e Botafogo recorreram pedindo a redução das penas, enquanto a Procuradoria pedia a majoração da pena do dono da SAF, do Botafogo e a punição de Adryelson.

Recurso julgado parcialmente:

Com relatório e voto, o auditor Maurício Neves Fonseca votou para majorar a pena de John Textor e manter as demais penas aplicas em primeira instância.

Voto para manter a absolvição do atleta Adrielson por entender que foi equivocado o posicionamento da arbitragem ao aplicar o vermelho por não se tratar de oportunidade clara de gol. Voto pela absolvição do atleta.

Ao Botafogo SAF também entendo que a Comissão entendeu corretamente pela aplicação da multa de R$ 5 mil, sendo que não houve elevada gravidade no arremesso de três copos. Mantenho a multa de R$ 5mil ao clube.

Ao dirigente é evidente que houve infração ao artigo 243-F por ofensa. Devendo ser mantida a pena aplicada em primeira instância.

Majorar a pena de John Textor para 90 dias de suspensão e multa de R$ 75 mil no artigo 243-F e mais 15 dias de suspensão no artigo 258-B”, anunciou o relator.

Os auditores acompanharam o voto do relator quanto ao Botafogo, ao atleta Adryelson e ao dirigente Vinicius Assumpção. Já com relação a John Textor, o auditor Felipe Bevilacqua pediu vista do processo e os demais irão aguardar o pedido para votarem. Com isso, o presidente José Perdiz proclamou a decisão do julgamento do Botafogo, Adryelson e Vinicius Assumpção e retiraram de pauta John Textor, que será retomado na próxima sessão a ser agendada.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.