LEIA MAIS@ 26/10/2021 - 13h03 | Juventude e zagueiro punidos
LEIA MAIS@ 26/10/2021 - 12h00 | Cuiabá: Marllon Borges punido
LEIA MAIS@ 26/10/2021 - 11h26 | Gabriel Girotto advertido
LEIA MAIS@ 25/10/2021 - 17h02 | Luxemburgo tem Transação homologada
LEIA MAIS@ 22/10/2021 - 17h01 | Pleno: Sessão com 13 processos

Atletas do Volta Redonda punidos
08/10/2021 16h31 | STJD

Divulgação / Site STJD
a A

A Quinta Comissão Disciplinar puniu dois atletas do Volta Redonda por reclamação desrespeitosa contra a arbitragem em partida da Série C. Expulsos na partida contra o Santa Cruz, Eduardo Grasson e Heitor foram punidos com duas partidas de suspensão, cada, por infração ao artigo 258, inciso II, do CBJD. A decisão foi proferida por unanimidade dos votos e cabe recurso ao pleno, última instância nacional.

Após o fim da partida o árbitro expulsou os atletas do Volta Redonda por se dirigirem a ele de forma desrespeitosa. Na súmula foi narrado que Heitor disse: "Você é um ridículo. Veio para nos roubar. Vai tomar no c*". Já Eduardo Grasson teria dito: "Eu sabia que seria roubado aqui, seu ridículo, filho da p*".

A Procuradoria enquadrou ambos os atletas no artigo 258, inciso II do CBJD por desrespeitar a equipe de arbitragem.

Advogado do Volta Redonda, Marcelo Mendes tentou minimizar as palavras ditas e pediu a absolvição dos atletas.

“Nesse caso até entendo que ambos os atletas foram duros nas palavras proferidas, mas a questão é que a súmula traz duas advertências por reclamações também ofensivas e ostensivas durante a partida e que receberam apenas o amarelo. Será que ele expulsaria esses dois atletas com vermelho direto se as palavras proferidas ao final ocorressem no decorrer da partida? Estamos na defesa dos dois atletas que não se trata de ofensas e sim de desrespeitos com infrações mais brandas e os atletas apenados durante a partida por reclamações ofensivas tomaram apenas o cartão amarelo. As palavras têm que ser analisadas no contexto da partida e do futebol. Nesse prisma do que foi dito, não entendo que os atletas extrapolaram as vias da disciplina desportiva. Pela automática já cumprida, o prejuízo ao clube e pela primariedade de ambos, a defesa requer a absolvição dos atletas ou a substituição da pena mínima em advertência” , sustentou a defesa.

Relator do processo, o auditor Eduardo Mello acolheu o pedido da Procuradoria e justificou.

"Entendo até a manifestação da defesa, mas talvez as palavras ditas durante a partida não tenham sido tão graves. Aqui acho que o caso é grave e fica no limite de chegar a ofensa. A afirmação de roubo é ofensiva sim. Acho que uma partida de suspensão é pouco, até pelo que temos visto. Por tudo que foi dito, aplico duas partidas a cada um dos jogadores denunciados", votou.

O voto do relator foi acompanhado pelos auditores Vanderson Maçullo, João Gabriel Maffei, José Maria Philomeno e pelo presidente Otacílio Araújo Neto.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.