LEIA MAIS@ 07/12/2018 - 12h56 | Vasco, presidente e técnico punidos
LEIA MAIS@ 07/12/2018 - 10h06 | Pleno multa e bane Amadeu Rodrigues
LEIA MAIS@ 06/12/2018 - 12h37 | Palmeiras x Ceará: penas de Mattos e Lisca majoradas
LEIA MAIS@ 04/12/2018 - 21h18 | Pleno do STJD debate em Workshop do novo CBJD
LEIA MAIS@ 04/12/2018 - 14h05 | Processo de Amadeu Rodrigues é reagendado

Ministro do STF bate papo com site STJD
22/12/2017 14h23 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

O STJD do Futebol teve uma visita ilustre na última quinta-feira, dia 22 de dezembro. O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STJF), Marco Aurélio Mello acompanhou a sessão de julgamentos da Quinta Comissão Disciplinar em que seu filho mais novo, Eduardo Affonso De Santis Mendes de Farias Mello, atua como Auditor desde julho de 2016.

Com passagem pelo TSE e TST, Marco Aurélio é também professor universitário, presidente do Instituto de Cidadania do Centro Universitário de Brasília (UNICEUB) e possui extensa listagem de obras jurídicas produzidas.

Confira abaixo o breve bate-papo que tivemos com o Ministro:


Site STJD: Qual a impressão que o Senhor tem hoje do funcionamento do STJD do Futebol?

Ministro Marco Aurélio: “Só há duas situações em que se exige o esgotamento da fase administrativa. É a Justiça Desportiva quanto às competições e disciplina e a Justiça do Trabalho quanto ao dissídio coletivo de natureza econômica. Se tem neste trato, na Constituição Federal a revelação da envergadura desta justiça. Isso é muito bom em termos de cultura porque ela lida com o principal esporte: a paixão brasileira, que é o futebol.

O STJD é merecedor de aplausos pela organização mantida e gostei muito de ter presenciado o colegiado funcionando”. 

Site STJD: O despertar do interesse pela Justiça Desportiva começou com a entrada do seu filho no STJD do Futebol ou antes disso o Senhor já procurava saber mais sobre o tribunal?

Ministro Marco Aurélio: “Antes não tinha uma curiosidade maior, mas sabia que funcionava bem. Com o Eduardo se dedicando como se dedica e ganhando experiência, meus olhos foram voltados para a Justiça Desportiva”.

Site STJD: O Senhor torce pelo Flamengo e não esconde isso, mas votou contra o Flamengo na disputa com o Sport pelo título de 87.

Ministro Marco Aurélio: “Ali havia algo que revela segurança para todos nós. Um pronunciamento judicial já precluso na via do recurso e não tive como deixar de reconhecer que o Flamengo realmente foi derrotado não no campo, mas na seara jurídica-judiciária e a decisão proferida tinha que ser respeitada pelo primado do Judiciário. Ele assumiu o risco e aí o Sport havendo ingressado em juízo com uma ação declaratória foi assentado campeão. E campeão é um único, não temos em uma competição dois campeões”. 

Site STJD: Conhecendo agora um pouquinho da Justiça Desportiva e o futebol sendo paixão nacional, há possibilidade de em algum momento vir a compor essa justiça?

Ministro Marco Aurélio: “Quem sabe daqui a três anos e meio quando estarei pendurando minhas chuteiras do judiciário eu olhe com gosto. Temos que esperar. Uma coisa é certa, eu deixando o judiciário vou cuidar da parte acadêmica. Sou presidente lá em Brasília do UNICEUB de Cidadania e quero dar uma ênfase maior nesse instituto”.

Eduardo Affonso De Santis Mendes de Farias Mello e Ministro Marco Aurélio Mello no STJD do Futebol


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.