LEIA MAIS@ 23/08/2019 - 12h44 | Felipe Melo suspenso e Gregore absolvido
LEIA MAIS@ 22/08/2019 - 13h52 | Pleno reconsidera pedido parcial de Itair
LEIA MAIS@ 21/08/2019 - 16h21 | Felipe Melo e Gregore em pauta
LEIA MAIS@ 21/08/2019 - 10h57 | Ceará pede impugnação de partida
LEIA MAIS@ 19/08/2019 - 10h37 | STJD emite recomendação contra Homofobia

Vasco x Flu: clube e zagueiros denunciados
07/08/2019 12h31 | STJD

Daniela Pinho
a A

O clássico entre Vasco e Fluminense, pela Série A do Campeonato Brasileiro, entrou em pauta no STJD do Futebol. Expulsos em campo os zagueiros Digão e Frazan serão julgados por jogada violenta e ato desleal, respectivamente. Por atrasar o início da partida e por arremesso de um copo com água e uma lata de cerveja no campo, o Vasco responderá por dupla infração. O processo está em pauta da Quinta Comissão Disciplinar nesta sexta, dia 9 de agosto, a partir das 14h.

Pela 11ª rodada da Série A, Vasco e Fluminense se enfrentaram em São Januário. Na súmula da partida redigida pelo árbitro Bruno Arleu de Araujo foi relatado o atraso de dois minutos no início da partida devido a entrada da equipe mandante após o horário permitido. O árbitro narrou ainda o arremesso de dois objetos em campo em momentos distintos. Aos 21 do segundo tempo um copo com água foi arremessado em campo e 10 minutos depois um lata de cerveja.

O Fluminense perdeu ainda dois zagueiros expulsos. Digão recebeu o segundo amarelo por solada em Bruno César aos 11 minutos do segundo tempo. Já o companheiro Frazan recebeu o vermelho direto aos 28 minutos da etapa final após falta em Pikachu, último homem.

A Procuradoria enquadrou o Vasco por atrasar o jogo no artigo 206 do CBJD e pelos arremessos em campo no artigo 213, inciso III do CBJD. A pena é de multa de até R$ 1 mil por minuto de atraso e de até R$ 100 mil por cada arremesso. Digão foi denunciado por praticar jogada violenta prevista no artigo 254, inciso I do CBJD e corre risco de suspensão por uma a seis partidas, enquanto Frazan será julgado por ato desleal no artigo 250 do CBJD e pode ser punido com suspensão por uma a três partidas.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.