LEIA MAIS@ 17/11/2017 - 20h06 | Palmeiras: proibidas organizadas caracterizadas
LEIA MAIS@ 17/11/2017 - 14h20 | Santa Cruz: clube multado e integrantes suspensos
LEIA MAIS@ 16/11/2017 - 13h01 | Corinthians x Palmeiras: clubes e atletas punidos
LEIA MAIS@ 14/11/2017 - 13h02 | Jair Ventura advertido por invasão
LEIA MAIS@ 14/11/2017 - 12h43 | Goleiro do Oeste punido por injúria racial

Meia do Botafogo tem pena reformada
09/11/2017 21h48 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

Suspenso por quatro jogos por praticar suposta agressão física na partida contra o Vitória, o meia Léo Valencia conseguiu modificar a pena no STJD do Futebol. Em grau de recurso, o Botafogo defendeu o atleta nesta quinta, dia 9 de novembro, em sessão itinerante realizada em Recife e teve a conduta desclassificada para ato hostil com a aplicação de um jogo de suspensão. O resultado foi proclamado por unanimidade dos votos dos Auditores presentes.

Após exibição da prova de vídeo com o lance da expulsão, os Auditores ouviram a sustentação da defesa do Botafogo.

“Na verdade a agressão na forma que o CBJD exige não é para punir com quatro jogos uma jogada como essa. Ele deu um empurrão com um pouco mais de força. Curioso é que o atleta foi expulso de forma direta, cumpriu a automática e, por conta desse lance, foi constatada uma lesão que tirou Valencia dos jogos pela Seleção e pelo Botafogo. Por essa razão, a defesa vem pedir a absolvição”, explicou Anibal Rouxinol Segundo.

O entendimento foi parcialmente acompanhado pelo relator do processo, Auditor João Bosco Luz. “Não é caso de absolvição, mas também não se trata de agressão física. Houve uma falta do atleta do Vitória sobre o Valencia e na sequencia ele da um chega pra lá no adversário. Houve, no máximo, hostilidade. Diante do exposto dou parcial provimento para desclassificar a conduta do 254-A para o 250 e, pela primariedade, aplico uma partida de suspensão”, justificou.

O voto do relator foi acompanhado na íntegra pelos Auditores Paulo César Salomão Filho, José Perdiz, Antônio Vanderler e pelo Presidente do STJD, Ronaldo Piacente.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.