LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 15h38 | Atlético/PR multado por descumprir RGC
LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 15h10 | Comissão absolve Flamengo e Bandeira
LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 13h42 | Neilton, Rodrigo Carpegiani e dirigente punidos
LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 11h44 | STJD notifica CBF dos inadimplentes
LEIA MAIS@ 16/10/2018 - 18h09 | Relator indefere reconsideração do Cruzeiro

Tentativa de Manipulação punida pelo STJD
11/05/2018 18h03 | STJD

Daniela Lameira
a A

O STJD do Futebol puniu na nesta sexta, dia 11 de maio, o auxiliar de fisioterapia do Brasiliense, Pedro Crema pela tentativa de Manipulação de Resultados na partida entre Manaus e CSA , pela Copa do Brasil. Julgado pela Quinta Comissão Disciplinar o auxiliar foi punido com suspensão de 365 dias e  multa de R$ 10 mil. Também denunciados Lucas Torquato Guerra, árbitro assistente; Marconi de Souza Gonçalo, árbitro assistente; Ivan da Silva Guimarães Júnior , quarto árbitro; Raimundo Nonato da Silva, analista de campo; Lázaro Dangelo Pinheiro, delegado da partida; e Giovanni Silva , presidente do Manaus Futebol Clube tiveram a preliminar de pedido de exclusão do Polo Passivo acolhida. A decisão cabe recurso.

O processo teve origem após o árbitro escalado para a partida, Vanderlei Soares de Macedo revelar um dia antes do jogo ter sido abordado e recebido uma proposta para favorecer a equipe de Manaus. Escalado para apitar a partida entre Manaus x CSA, pela primeira fase da Copa do Brasil (07/02 Vanderlei revelou que o auxiliar de fisioterapeuta do Brasiliense chamado Pedro Crema o abordou dois dias antes durante uma clínica de treinamento para árbitros no DF e ofereceu o valor de R$ 20 mil para que o mesmo favorecesse a equipe do Manaus na partida.

Após não ter retorno quanto ao pedido de manifestação dos envolvidos, foi aberto um inquérito, mas somente o árbitro confirmou , esclareceu todos os fatos e juntou as mensagens trocadas com o fisioterapeuta do Brasiliense. Os demais integrantes da arbitragem, Pedro Crema e o presidente do Manaus negaram.

Concluído o inquérito, a Procuradoria denunciou Lucas Torquato Guerra (DF), árbitro assistente; Marconi de Souza Gonçalo (DF), árbitro assistente; Ivan da Silva Guimarães Júnior (AM), quarto árbitro; Raimundo Nonato da Silva (AM), analista de campo; Lázaro Dangelo Pinheiro, delegado da partida; Pedro Crema (DF), auxiliar de fisioterapia do Brasiliense F.C e Giovanni Silva (AM), presidente do Manaus Futebol Clube, todos nas iras dos Arts.241 e 243- A e artigo 62 e 69 da FIFA na forma do Art.183.

Presente no julgamento, Pedro Crema confirmou em depoimento pessoal que tentou subornar o árbitro da partida Vanderlei Soares de Macedo, a mando de Paulo Henrique, diretor de futebol do Brasiliense.

As defesas da arbitragem e do presidente do Manaus, Giovanni Silva, arguiram prelimimar de pedido de exclusão do Polo Passivo. O pedido foi acolhido pela Comissão Disciplinar.

Em voto, o relator Eduardo Affonso Mello aplicou suspensão de 1 ano e multa de R$ 10 mil a Pedro Crema por infração ao artigo 241 do CBJD.

O Auditor Maurício Alexandre Neves acompanhou o voto do relator na íntegra, enquanto o Auditor José Nascimento votou por suspensão de 2 anos e multa de R$ 20 mil.

Presidente da Comissão e último a votar, o Auditor Rodrigo Raposo votou para suspensão de 1 ano e meio e multa de R$ 15 mil.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.