LEIA MAIS@ 27/06/2017 - 19h25 | São Raimundo é denunciado por escalação irregular
LEIA MAIS@ 23/06/2017 - 18h05 | Julgamento do atacante Kleber é agendado
LEIA MAIS@ 23/06/2017 - 15h57 | Pleno no I Seminário do TJD/GO
LEIA MAIS@ 23/06/2017 - 14h19 | Milton Mendes e Vasco absolvidos
LEIA MAIS@ 23/06/2017 - 10h01 | Pleno visita Centro de Reabilitação em Goiânia

STJD pune Itabaiana por escalação irregular

Daniela Lameira / Site STJD
13/06/2017 11h51

Clube perdeu pontos na Série D e foi multado por escalar atleta sem registro ativo na estreia da competição.


a A

O Itabaiana foi punido no STJD do Futebol por escalação irregular na Série D do Campeonato Brasileiro. Julgado na manhã desta terça, dia 13 de junho, o clube recebeu a perda de três pontos e multa de R$ 300 por relacionar o atleta Thomas Anderson sem registro ativo. A decisão, proferida por unanimidade dos votos da Segunda Comissão Disciplinar, cabe recurso.

De acordo com Comunicação de irregularidade de atleta enviada pela Diretoria de Competições da CBF, o jogador atuou na estreia da equipe na Série D sem possuir registro regular na Diretoria de Registro e Transferência da CBF. O fato ocorreu devido o término do contrato registrado do atleta ter encerrado no dia 10 de maio e a partida ter sido realizada no dia 21 de maio.​ 

Pelo fato a Procuradoria denunciou o Itabaiana por infração ao artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. "Incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente".

Diante da Comissão Disciplinar o advogado explicou o entendimento do clube e pediu que sendo aplicada a perda de pontos que seja reduzida a pena por multa.

Para o relator do processo, Auditor Felipe Diego não há dúvidas quanto a irregularidade e , desta forma, votou para aplicar perda de três pontos ao clube e multa de R$ 300 por infração ao artigo 214. O entendimento do relator foi acompanhado pelos Auditores Francisco Honório, Marcelo Vieira e João Riche.

Proferida em primeira instância, a decisão cabe recurso e pode chegar ao Pleno do STJD do Futebol.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.