LEIA MAIS@ 16/07/2019 - 19h01 | Procuradoria intima Figueirense por atrasos salariais
LEIA MAIS@ 15/07/2019 - 18h20 | Vasco ingressa com pedido de impugnação
LEIA MAIS@ 15/07/2019 - 14h21 | Aparecidense punida por arremesso e injúria
LEIA MAIS@ 12/07/2019 - 17h42 | Atlético/GO x Vila: Presidente defere torcida única
LEIA MAIS@ 12/07/2019 - 17h19 | Pleno: Sessão confirmada

STJD nega pedido de impugnação da Chape
26/06/2019 10h34 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

O Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol julgou improcedente o pedido de impugnação de partida da Chapecoense para anular a final do Campeonato Catarinense 2019. Após o pedido ter sido negado no TJD/SC, a Chape recorreu ao STJD. O recurso foi julgado na noite desta terça, dia 25 junho, e os Auditores mantiveram a decisão do tribunal local. A decisão foi proferida por unanimidade dos votos.

A argumentação da Chapecoense é de que houve erro de direito na penalidade cobrada por Bruno Pacheco. Julgado no TJD/SC os Auditores rejeitaram, por unanimidade, o pedido da Chape. O clube recorreu e o caso chegou ao STJD do Futebol.

Diante do STJD o advogado Marcelo Mendes defendeu o pedido de impugnação da Chape, enquanto Osvaldo Sestário sustentou a manutenção do resultado de campo obtido pelo Avaí.

Relator do processo, o Auditor Otávio Noronha entendeu que não havia embasamento jurídico no pedido da Chapecoense e votou para negar provimento ao recurso para manter a decisão de campo. O voto do relator foi acompanhado pelos demais Auditores presentes.

Pleno julga infrações da final:

O Pleno do STJD julgou também o recurso das infrações ocorridas na partida da final. Punido com duas perdas de mando e multa de R$ 4 mil no TJD/SC, o Avaí teve a perda de mando reduzida para um jogo, sendo com portões fechados, e a multa mantida. Já o árbitro Bráulio da Silva Machado teve a pena de 30 dias por infração ao artigo 266 mantida e o delegado da partida Manoel de Paula teve a conduta no artigo 266 desclassificada para o artigo 258, mantida a suspensão por 30 dias. A decisão foi anunciada por unanimidade dos votos.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.