LEIA MAIS@ 16/08/2018 - 15h57 | Pleno adia decisão da final do Paulista
LEIA MAIS@ 15/08/2018 - 18h00 | Coritiba x Figueirense: processo retorna à pauta
LEIA MAIS@ 15/08/2018 - 15h56 | Comissão aplica dois jogos a Deyverson
LEIA MAIS@ 14/08/2018 - 19h54 | Aguirre e Moisés denunciados pela Procuradoria
LEIA MAIS@ 14/08/2018 - 12h38 | Santos e Serginho punidos

STJD afasta organizadas de Inter e Grêmio
08/06/2018 20h49 | STJD

Daniela Pinho
a A

O Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol reformou, nesta sexta, dia 8 de junho, a decisão do TJD/RS para Internacional e Grêmio por desordens no clássico do Campeonato Gaúcho 2018. No tribunal local o Inter recebeu multa de R$ 10 mil e o Grêmio foi absolvido. Diante do STJD a multa do Inter foi retirada, porém os clubes tiveram as torcidas organizadas afastadas por três jogos consecutivos no Campeonato Gaúcho, mantendo o espaço no estádio destinado as organizadas vazio. A decisão foi proferida por maioria dos votos em sessão itinerante realizada na Federação Gaúcha de Futebol.

No recurso, oriundo do TJD/RS, Procuradoria e Internacional buscavam reverter a decisão do tribunal local contra o clube por infração no Campeonato Gaúcho. No TJD/RS o Inter foi multado em R$ 10 mil por infração ao artigo 213, inciso I do CBJD por desordens no clássico com o Grêmio.

No Pleno a Procuradoria pediu a majoração da pena para R$ 20 mil. “As providências, ainda que elogiadas em visita realizada por Auditores, não foram capazes de prevenir as condutas que assistimos em parte e que foram amplamente divulgadas. É fato incontroverso. A discussão não é a confusão em si, a questão é até que ponto isso vai perdurar e ser permitido que isso prossiga e afaste as famílias dos estádios. A conduta foi narrada como dentro dos padrões de todo o Grenal. É um clássico, há uma imensa rivalidade e isso se traduz em organizadas, mas considerarmos dentro dos padrões estamos aceitando que isso pode continuar dessa forma. Não é possível aceitar esse tipo de conduta. Reitero os termos da denúncia quanto a majoração”, sustentou Júlia Gelli, Subprocuradora-geral da Justiça Desportiva.

Em defesa do Inter, o advogado Rogério Pastl destacou as ações tomadas pelo clube como medidas de prevenção e explicou as ações da organização da brigada militar que determina onde ficam as torcidas mandantes e visitantes. O defensor lembrou que cerca de 19 ou 20 torcedores foram identificados e detidos e que o feito cabe na excludente do artigo 213 para absolver o clube. A defesa ainda destacou. “Inverrossímel acreditar que o Inter começou. Não podemos acreditar que as cadeiras foram lançadas de baixo para cima”.

Pelo Grêmio, o advogado Jorge Petersen afirmou que o mandante tem que ter a interação com a brigada militar e isso não cabe ao visitante.” A regra geral do 213 é que a responsabilidade do que acontece no jogo é do mandante. Não há uma única prova nos autos que o Grêmio contribuiu para os fatos. AS questões são absolutamente diferentes. O Internacional te que provar que preveniu e reprimiu e ao Grêmio só caberia punição se a Procuradoria provasse que o clube tivesse contribuído de alguma forma”, concluiu

Logo após as sustentações o Presidente Ronaldo Piacente colheu os votos. Por maioria, os Auditores mantiveram a absolvição do Grêmio, absolveram o Internacional da multa de R$ 10 mil recebida no TJD/RS e afastaram as torcidas organizadas de ambos os clubes por três jogos no Campeonato Gaúcho, tanto na condição de mandante, quanto visitante, devendo manter vazio o espaço no estádio destinado as organizadas.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.