LEIA MAIS@ 14/10/2019 - 19h40 | Fla entra com liminar para liberação de Reinier
LEIA MAIS@ 14/10/2019 - 14h50 | Flu: Atletas, Oswaldo, gerente, gandula e clube punidos
LEIA MAIS@ 11/10/2019 - 15h17 | Náutico multado por arremesso e invasão de campo
LEIA MAIS@ 11/10/2019 - 12h02 | Inter: Comissão adverte Bruno e suspende Guerrero e Melo
LEIA MAIS@ 10/10/2019 - 15h57 | Pleno pune Decisão/PE por descumprir regulamento

São Paulo absolvido e Arboleda advertido
25/06/2019 12h18 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

Os Auditores da Segunda Comissão Disciplinar do STJD do Futebol absolveram o São Paulo pelo atraso na entrega da relação de atletas na partida contra o Bahia. Expulso no campo, Arboleda foi punido com a pena mínima convertida em advertência. A decisão foi proferida na manhã desta terça, dia 25 de junho, por unanimidade votos e cabe recurso.

Em partida da Copa do Brasil, o árbitro narrou na súmula o atraso de 26 minutos do São Paulo na entrega da relação de jogadores para o jogo. Já no campo de expulsões, Arboleda recebeu o vermelho direto por agarrar o adversário e impedir uma chance de gol. A Procuradoria denunciou o São Paulo no artigo 191, inciso III do CBJD e Arboleda no artigo 250 do CBJD.

Diante da Comissão a defesa do São Paulo apresentou prova de vídeo da expulsão do atleta e prova documental justificando o atraso do clube n a chegada ao estádio.

Com a palavra para sustentação, Julia Gelli, Subprocuradora-geral, reiterou os termos da denúncia destacando que o vídeo exibido corroborou com o que foi narrado na súmula na expulsão do atleta Arboleda. Em relação ao clube, mesmo com vasta prova, a procuradora afirmou que a orientação é que há profissionais capazes de calcular problemas no caminho e sair antes do horário.

Thiago Amaro iniciou a defesa pelo atleta Arboleda. “O atleta do Bahia segura o atleta do São Paulo. O atleta do São Paulo tenta girar e não consegue e segura o adversário como reação. O lance em si não se justifica o cartão vermelho direto. Não havia uma clara oportunidade de gol e sim uma chance. No meu entendimento, o atleta do Bahia fez a falta primeiro. Um erro muito grave do VAR e que prejudicou o São Paulo. A defesa pede a absolvição do Arboleda”. disse o advogado, que seguiu em defesa do clube.

“O árbitro relata que o São Paulo atrasou na entrega da listagem de atletas, mas o clube justificou com as provas. O Clube chega ao estádio 20h30 e não tinha como entregar antes. O acesso ao estádio estava impossível entrar. O ônibus ficou parado mais de 30 minutos. Esse era um jogo teste para a Copa América e fecharam muitas ruas. A festa pela chegada do Bahia minutos antes fez com que os torcedores comemorassem e atrapalhasse ainda mais a chegada do São Paulo. Fato fora do comum e que não estava nos planos do São Paulo”, finalizou.

Após as sustentações, o Auditor Felipe Diego Barbosa, relator do processo, proferiu seu voto. “Entendo que houve justificativa plausível para o atraso e entrega da lista. Obviamente fica impossível se a equipe não consegue chegar ao estádio. Voto pela absolvição. Já ao Arboleda entendo que a prova de vídeo não consegue se elidir. O jogador agarra seu adversário e o movimento apontava por uma oportunidade bem clara de gol. Mantenho os termos da denúncia e aplico uma partida convertida em advertência”, explicou.

Os Auditores Francisco Honório, Sônia Frúgoli, Marcelo Vieira e Ivaney Cayres acompanham o voto do relator.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.