LEIA MAIS@ 24/09/2021 - 11h45 | Isla absolvido e Vanderson punido
LEIA MAIS@ 23/09/2021 - 17h55 | Paulo Carneiro: Transação homologada
LEIA MAIS@ 23/09/2021 - 15h01 | Porto Velho denunciado por escalação irregular
LEIA MAIS@ 22/09/2021 - 14h03 | GRE x FLA: Isla e Vanderson denunciados
LEIA MAIS@ 22/09/2021 - 12h42 | Em pauta injúria racial contra Celsinho

Santos: preparador advertido e clube absolvido
30/07/2021 14h11 | STJD

Divulgação / Site STJD
a A

A Quinta Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol advertiu o preparador físico do Santos, Wagner Bertelli, na denúncia por desrespeito à arbitragem, e o absolveu por invasão ao campo. Denunciado no artigo 213 do CBJD, o Santos foi absolvido. O julgamento ocorreu nesta sexta, 30 de julho, e a decisão cabe recurso.

Em partida válida pela Série A do Campeonato Brasileiro, entre Palmeiras e Santos, no dia 10 de julho, Wagner Bertelli foi expulso ao término do jogo, com a aplicação do cartão vermelho direto, por invadir o campo e protestar de forma acintosa e ostensiva contra a arbitragem pelo acréscimo dado. De acordo com o árbitro, o preparador disse: “é um absurdo, só sete minutos, você não pode fazer isso com a gente”.

Pelo relato sumular a Procuradoria denunciou Wagner nos artigos 258, § 2º, II, “desrespeitar os membros da equipe de arbitragem ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões”, e 258-B do CBJD, “invadir local destinado à equipe de arbitragem ou o local da partida... durante sua realização, inclusive no intervalo regulamentar”. A acusação entendeu que o clube não tomou as providências para impedir a invasão do membro da comissão técnica e denunciou o Santos por “deixar de prevenir e reprimir invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo”, conforme previsto no artigo 213, II do CBJD.

Advogado do Santos, Marcelo Mendes discordou da Procuradoria.

“Realmente eu fiquei bastante incomodado com essa denúncia, pois não consigo visualizar o artigo 213. É inédito um caso em que um membro da comissão técnica, que estava dentro de campo durante a realização da partida, e o clube ser denunciado no 213. Eu não consigo entender qual seria a atitude do clube para tentar evitar que um membro da comissão técnica fale com o árbitro. Eu duvido que ele tenha sido o único que entrou em campo, mas porque ele é o único que está denunciado no 258-B? E mais, qual é o desrespeito nas palavras proferidas? Só faltou ele pedir por favor, só faltou fazer um tratamento de um ambiente formal, como é nesse Tribunal. Acho que ele foi, no contexto de uma partida de futebol, extremamente educado. Não chega nem perto da linha limite do desrespeito”, sustentou Marcelo pedindo a absolvição tanto do preparador físico quanto do Santos.

A Comissão, por maioria, Wagner Bertelli recebeu a pena mínima de uma partida convertida em advertência pela reclamação, ficando vencido o presidente Otacílio Araújo Neto, que mantinha uma partida. Já por unanimidade, a Comissão absolveu Bertelli da acusação de invasão e o Santos no artigo 213. Votaram os auditores Eduardo Mello, relator do processo, Gustavo Caputo, Alessandra Perez Paiva, João Gabriel Maffei e o presidente Otacílio Araújo Neto.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.