LEIA MAIS@ 04/12/2017 - 16h01 | Ponte: multa, perda de mandos e Rodrigo suspenso
LEIA MAIS@ 04/12/2017 - 14h28 | Corinthians: multa e perda de mando
LEIA MAIS@ 02/12/2017 - 15h14 | Flamengo obtém parcial efeito suspensivo
LEIA MAIS@ 01/12/2017 - 16h34 | Rhodolfo, Vizeu e árbitro punidos
LEIA MAIS@ 29/11/2017 - 13h49 | Presidente interdita Moisés Lucarelli

Presidente do Conselho do Atlético/GO suspenso
11/08/2017 13h17 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

A Quarta Comissão Disciplinar do STJD do Futebol puniu Jovair Arantes, Presidente do Conselho Deliberativo do Atlético/GO por entrevista desrespeitosa após a partida contra o Botafogo, pela Série A do Campeonato Brasileiro. Em julgamento realizado nesta sexta, dia 11 de agosto, Jovair recebeu 30 dias de suspensão por unanimidade dos votos. A decisão cabe recurso.  

Em coletiva concedida após o jogo, Jovair disparou: “Vou ligar para os donos do futebol. Eles não podem escolher um time para ser a bola da vez. Eles têm que deixar o campeonato correr. Tem que dizer pro árbitro que eles não precisam ajudar os times grandes, eles tem como sobreviver.... O juiz veio mal intencionado e roubaram o Atlético. Eu vou ligar para os donos do futebol e falar isso tudo”.

“A CBF é dona do futebol. Ela que comanda e tem um quadro de arbitragem que é uma vergonha historicamente. Inventaram um sorteio de araque. É eles que fazem o sorteio e põem quem eles querem. Chega esse tipo de arbitro e furta um time pequeno. Isso não pode continuar acontecendo”. 

Com base nas declarações, a ANAF entrou com uma Notícia de Infração contra o dirigente goiano. Após análise, a Procuradoria ofereceu denúncia.

Subprocurador-geral da Justiça Desportiva, Gustavo Silveira sustentou o pedido de punição exemplar ao denunciado. “Ele duvidou da lisura da arbitragem. Obviamente o termo roubado e furto no sentido de ser lesado, prejudicado. O festival de ofensas e desrespeitos do denunciado não foi dito por um atleta no calor do jogo e sim por um dirigente dias após a partida com a cabeça calma e pensando em tudo”, explicou. 

Em defesa de Jovair, o advogado Osvaldo Sestário destacou. “Entrevista concedida após a partida entre Atlético/GO e Botafogo em coletiva. Entendo que foi uma única ação na forma do artigo 183. Discordo da Procuradoria que não estava de cabeça quente. Como dirigente a gente paga a conta e está no dia a dia dos atletas e evitando cortes por pagamentos e uma série de coisas. A diferença de arrecadação dos clubes de Série A e os que lutam na parte de baixo é exorbitante. Esse dirigente vai falar de lances e criticar a arbitragem e ao sistema de sorteio, e é nesse contexto que ele vai reclamar”, disse Sestário. 

Relator do processo, o Auditor José Maria Philomeno justificou. “Concordo que essas declarações dentro do contexto do linguajar do futebol não podem e nem sempre são caracterizadas como ofensa, mas trata-se de um presidente do cube, alguém que fala em nome do clube e que tem sua voz em ressonância grande para a torcida. Não pode um dirigente manifestar-se de uma forma que pode chegar a incitar a violência da torcida. Não vejo como ofensas no artigo 243-F, mas são reprováveis. Apeno pelo artigo 258 e uma suspensão em 30 dias sem conversão”, votou. 

Os Auditores Luiz Felipe Procópio, Adilson Alexandre Simas, Olímpia Falcão e o Presidente Luis Felipe Bulus acompanharam o entendimento e desclassificação do relator para aplicar 30 dias de suspensão a Jovair Arantes por desrespeito descrito no artigo 258, inciso II do CBJD.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.