LEIA MAIS@ 22/03/2019 - 18h59 | Relatora concede efeito suspensivo a Bruno Silva
LEIA MAIS@ 22/03/2019 - 17h09 | Infrações do Paraibano julgadas no STJD
LEIA MAIS@ 21/03/2019 - 19h43 | Relator nega efeito suspensivo ao Flamengo/PE
LEIA MAIS@ 20/03/2019 - 21h00 | Comissão pune delegado, árbitros e clubes
LEIA MAIS@ 19/03/2019 - 19h04 | Felipão cumpre conversão e visita instituição

Presidente da ANAF é denunciado no STJD
08/03/2019 19h07 | STJD

Daniela Pinho
a A

A Terceira Comissão Disciplinar do STJD do Futebol julgará na próxima quarta, dia 13 de março, o presidente da ANAF, Salmo Valentim. Denunciado pela Procuradoria, Salmo responderá por prática de conduta contrária à disciplina em declaração ofensiva contra o Tribunal do Futebol e por descumprimento do Regulamento Geral das Competições. A sessão está agendada para iniciar às 13h30.

A denúncia teve origem após nota oficial da ANAF (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol) contrária à decisão do STJD que impugnou a partida entre Aparecidense e Ponte Preta, pela Copa do Brasil. Segundo a Procuradoria, no comunicado, divulgado no dia 25 de fevereiro, a ANAF apresentou conteúdo desonroso e ofensivo.

Na denúncia a Procuradoria destacou trecho da Nota Oficial:

Assemelhar-se aos questionáveis tribunais de exceção e seus membros a inquisidores, que na supra mencionada sessão faltaram com decoro ao estigmatizarem com alcunha de mentiroso um sacerdote da arbitragem e do futebol que antes de algo mais é cidadão, pai de família e respeitado por todos que o conhecem como homem de moral ilibada, Samuel Oliveira da Costa, a quem hipotecamos nossa confiança e por quem, em nome dos demais árbitros brasileiros, iremos recorrer a todas as demais instâncias possíveis.

Por fim, lamentamos essa Atipicidade do Tribunal, tribal em sua voracidade sobre a honra e a competência alheia e banal sobre seu próprio regimento interno, ao desrespeitar o artigo 13 - Parágrafo único STJD: “Não poderão ser indicados como substitutos dos auditores do Pleno membros da Justiça Desportiva em exercício”, disse a Nota assinada pelo presidente Salmo Valentim.

No entendimento da Procuradoria a manifestação ultrapassou os limites da liberdade de expressão e mostrou desconhecimento e desrespeito com os Auditores responsáveis pelo julgamento do caso no STJD do Futebol. Ao citar os adjetivos tribal, desonroso, incompetente e banal, a Procuradoria enquadrou Salmo Valentim por infração aos artigos do CBJD:

Artigo 243-F: Ofender alguém em sua honra. Pena de multa entre R$ 100 e R$ 100 mil e suspensão pelo prazo de 15 a 90 dias.

Artigo 191, inciso III por descumprir o que estabelece o artigo 1º, parágrafo 2º do Regulamento Geral da Competição (As declarações antidesportivas ou quaisquer outras que venham a macular a imagem de qualquer competição ou da CBF serão passíveis das punições previstas no art. 53 deste RGC). Pena de multa entre R$ 100 e R$ 100 mil.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.