LEIA MAIS@ 04/12/2017 - 16h01 | Ponte: multa, perda de mandos e Rodrigo suspenso
LEIA MAIS@ 04/12/2017 - 14h28 | Corinthians: multa e perda de mando
LEIA MAIS@ 02/12/2017 - 15h14 | Flamengo obtém parcial efeito suspensivo
LEIA MAIS@ 01/12/2017 - 16h34 | Rhodolfo, Vizeu e árbitro punidos
LEIA MAIS@ 29/11/2017 - 13h49 | Presidente interdita Moisés Lucarelli

Ponte: multa, perda de mandos e Rodrigo suspenso
04/12/2017 16h01 | STJD

Assessoria do STJD
a A

A Primeira Comissão Disciplinar do STJD do Futebol puniu nesta segunda, dia 4 de dezembro, as ocorrências na partida entre Ponte Preta e Vitória. Por maioria dos votos, a equipe de Campinas recebeu, no total, multa de R$ 30 mil e 5 perdas de mando de campo com portões fechados pelo arremesso de objetos e a invasão do campo de jogo e teve a interdição do Moisés Lucarelli mantida, enquanto o zagueiro Rodrigo foi suspenso por seis jogos por dar "dedadas" no adversário Trellez. Os Auditores mantiveram ainda o placar da partida de 3 a 2. Proferida por maioria dos votos, a decisão cabe recurso.

Diante da Comissão Disciplinar a Procuradoria apresentou prova de vídeo com imagens da invasão de campo e da expulsão de Rodrigo. Já a defesa da Ponte entregou prova documental com boletins de ocorrência, laudos dos bombeiros e da Polícia Militar.

Com a palavra o Procurador Giovani Rodrigues Mariot chamou as cenas de lamentáveis e destacou que não houve a identificação dos infratores por parte do clube. Com relação a conduta de Rodrigo, o representante da Procuradoria  lembrou que o zagueiro foi quatro vezes julgado em 2017 e que bancou o “espertalhão” diante de Trellez.

Pela Ponte a defesa destacou que não houve agressão e violência por parte dos torcedores infratores aos atletas e que o clube não pode ser penalizado pela conduta de alguns marginais. O advogado João Felipe Acioli  lembrou ainda a invasão ocorrida no Couto Pereira, em 2009, e destacou que em Curitiba tiveram feridos na partida que culminou com o rebaixamento do Coritiba, ao contrário do Moisés Lucarelli.

Para os Auditores da Primeira Comissão Disciplinar os fatos foram graves e merecem reprimenda.

Relator do processo, o Auditor Alexandre Magno votou para manter a decisão de campo, manter a interdição do Moisés Lucarelli e aplicar multa de R$ 30 mil. No artigo 213, aplicar no inciso I multa de R$ 30 mil e perda de 3 mandos de campo; no inciso II multa de R$ 40 mil e perda de quatro perdas de mando e no inciso III multa de R$ 20 mil e perda de 2 mandos de campo, totalizando R$ 120 mil de multa e 9 perdas de mando. A Rodrigo suspensão de 6 partidas no artigo 258.

Todos acompanharam na manutenção da interdição do Moisés Lucarelli, na manutenção do placar da partida de 3 a 2 e na suspensão de seis jogos a Rodrigo por infração ao artigo 258.

O Auditor Gustavo Pinheiro divergiu do relator na pena a Ponte para aplicar multa de R$ 15 mil no artigo 211 e R$ 15 mil e perda de 3 mandos de campo com portões fechados no artigo 213.

O Auditor Douglas Blaichman acompanhou a divergência com multa de R$ 15 mil a Ponte no artigo 211 e aplicou multa de R$ 15 mil e perda de 5 mandos com portões fechados no artigo 213. O voto foi acompanhado na íntegra pela Auditora Michelle Ramalho.

Já o Presidente Lucas Rocha acompanhou o relator na multa de R$ 30 mil no artigo 213 e na pena a Rodrigo, mas divergiu para aplicar multa de R$ 90 mil e 5 perdas com portões fechados a Ponte no artigo 213.

A decisão cabe recurso e deve chegar ao Pleno, última instância nacional.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.