LEIA MAIS@ 26/06/2019 - 10h34 | STJD nega pedido de impugnação da Chape
LEIA MAIS@ 25/06/2019 - 20h07 | Democrata é absolvido em última instância
LEIA MAIS@ 25/06/2019 - 19h28 | Pleno julga prescrito processo do Villa
LEIA MAIS@ 25/06/2019 - 18h20 | Pleno mantém punição ao Bahia de Feira
LEIA MAIS@ 25/06/2019 - 12h18 | São Paulo absolvido e Arboleda advertido

Pleno multa e bane Amadeu Rodrigues
07/12/2018 10h06 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

O Pleno do STJD do Futebol concluiu nesta quinta, dia 6 de dezembro, o julgamento do ex-presidente da Federação Paraibana de Futebol, Amadeu Rodrigues, por suposto envolvimento na Operação Cartola. Adiado na última sessão, o processo retornou com videoconferência para depoimento das testemunhas de defesa. Por unanimidade dos votos, Amadeu foi multado em R$ 20 mil e banido do futebol. O processo foi julgado no TJD/SP.

Através de videoconferência a defesa de Amadeu Rodrigues ouviu Francisco de Assis Lourenzo Serpa, corregedor do TJD/PB e Valdir Bezerra Cabral, ex-presidente o Clube Grêmio Serrano.

Eduardo Araújo , advogado de Amadeu iniciou a sustentação afirmando que quem leu o relatório sabe que teve manipulação de resultado, mas é necessário separar o joio do trigo. O defensor declarou que nos autos do processo há provas contra Amadeu.

“Amadeu mal ia para o estádio. Não gosta. Amadeu várias vezes foi prestar depoimento e não acharam nada. Foram três árbitros que denunciaram manipulação de resultado e não falam em Amadeu. Tem Rosilene e Zé Renato. Não tem nos autos prova de manipulação do Amadeu. Amadeu foi punido já. Foi afastado, não é mais Presidente não pode ser mais candidato e já foi punido na esfera Desportiva”, disse Eduardo Araújo.

O relator do processo, Auditor Décio Neuhaus, divergiu da defesa e, em seguida, proferiu seu voto. “No depoimento o denunciado não conseguia responder algumas perguntas. O depoimento das duas testemunhas de hoje é mais abonatório. O que temos nos autos são provas robustas e que a principal pessoa é o presidente da Federação. Não consigo dissociar que o presidente não tinha conhecimento. A maior autoridade na Paraíba é a presidência. O meu voto é que Amadeu Rodrigues é integrante na Operação Cartola. Condeno a pena de 120 dias no artigo 234, multa de R$ 10 mil e 360 no artigo 237 , multa de R$ 10 mil e banimento no artigo 242 do CBJD e artigos 62 e 69 da FIFA”, explicou.

Os Auditores Antônio Vanderler, Otávio Noronha, Arlete Mesquita e Luis Felipe Bulus acompanharam o relator na íntegra.

Presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, fez algumas considerações antes de anunciar seu voto. “Dr. Eduardo, sua tarefa era uma das mais árduas. Acredito mesmo na verdade da sua sustentação. Na minha concepção o depoimento do Amadeu ele tem diversas dúvidas na resposta, escorrega e nos trouxe a certeza que alguma coisa muito estranha existia. Nem é o fato de dar dinheiro para a imprensa. É grave, mas é uma gota no oceano. O mais grave é a súmula. Acompanho o relator”, concluiu.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.