LEIA MAIS@ 13/09/2019 - 18h39 | Presidente recebe impugnação do Paysandu
LEIA MAIS@ 12/09/2019 - 17h58 | Presidente defere conversão a Itair Machado
LEIA MAIS@ 11/09/2019 - 15h54 | Relator suspende jogos do Pernambucano A2
LEIA MAIS@ 11/09/2019 - 11h10 | Paysandu pede anulação de partida
LEIA MAIS@ 09/09/2019 - 11h20 | Nota de Pesar

Pleno mantém suspensão a Itair Machado
07/06/2019 12h39 | STJD

Daniela Pinho
a A

O Pleno do STJD do Futebol julgou nesta sexta, dia 7 de junho, o recurso do vice-presidente do Cruzeiro, Itair Machado, por declarações desrespeitosas contra a Federação Mineira de Futebol durante o Campeonato Mineiro de 2019. Punido com 15 dias de suspensão no TJD/MG, o dirigente teve a pena mantida em última instância. A decisão foi proferida por unanimidade dos votos.

Punido no TJD/MG, Itair teve a decisão recorrida com pedido de absolvição. Diante do Pleno, o Procurador-geral Felipe Bevilacqua ressaltou que Itair é polêmico e pediu que a pena seja mantida.

“Processo muito simples. Figura conhecida no meio esportivo. Sou sempre bombardeado com tudo que ocorre no futebol diariamente. Caso que se assemelha muito ao Petraglia que causa sempre polêmica com muitas declarações inapropriadas. Acho que a proporção da pena foi razoável por Itair ser primário. A condenação se faz necessária para que possamos aplicar novas penas nos casos mais graves que virão”, disse Bevilacqua.

Advogado do Cruzeiro, Teothônio Chermont pregou cautela e sustentou o pedido de absolvição de Itair.

“Tento me pautar sempre pela técnica. Sou obrigado a discordar de alguns pontos colocados pelo Procurador. A coisa não pode ser vista pela ótica de quem é Itair Machado. Assim não adianta sustentar que já está condenado. Preciso que esqueçam o mundo externo e julguem tecnicamente o que está nos autos do processo. No caso concreto não cabe ofensa a honra. Não posso admitir que tenha que ser imposta a ele uma condenação por declarações em outros processos. Tem que ser punido pelo que ocorreu nesse processo. Antipatias e polêmicas a parte, as declarações não desrespeitou ninguém. Foi duro e passional, mas não pode ser considerado desrespeito. Peço a absolvição”, defendeu.

No entendimento do relator do processo, Auditor Décio Neuhaus  não há uma ofensa moral e sim uma crítica forte onde o executivo do Cruzeiro ultrapassa o limite. “Mantenho a pena dada pelo Tribunal de Minas de 15 dias de suspensão”.

O voto foi acompanhado pelos demais Auditores e anunciado por unanimidade.

O Pleno determinou ainda que o processo por descumprimento de decisão da Justiça Desportiva (Processo 025/2019) retorne para julgamento na Terceira Comissão Disciplinar.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.