LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 15h38 | Atlético/PR multado por descumprir RGC
LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 15h10 | Comissão absolve Flamengo e Bandeira
LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 13h42 | Neilton, Rodrigo Carpegiani e dirigente punidos
LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 11h44 | STJD notifica CBF dos inadimplentes
LEIA MAIS@ 16/10/2018 - 18h09 | Relator indefere reconsideração do Cruzeiro

Leandro Donizete liberado para atuar
15/05/2018 15h14 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

O volante Leandro Donizete está livre para defender o América/MG. Denunciado por jogada violenta em expulsão diante do Vitória, o atleta foi julgado nesta terça, dia 15 de maio, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol. Por maioria dos votos, os Auditores da Segunda Comissão Disciplinar absolveram Donizete. A decisão cabe recurso.

Na súmula da partida realizada no dia 30 de abril contra o Vitória, pela Série A do Campeonato Brasileiro, o árbitro narrou que o jogador do América/MG recebeu o segundo amarelo e, consequentemente, acabou expulso após calçar o adversário de forma temerária na disputa de bola. O fato rendeu denúncia a Leandro Donizete por jogada violenta (artigo 254 do CBJD).

Em julgamento o Procurador João Rafael Soares ratificou a denúncia e destacou que a prova de vídeo confirmou que o atleta foi expulso por entrada dura.

O advogado Felipe de Macedo divergiu da Procuradoria e pediu a absolvição do atleta do América/MG. “A prova de vídeo foi para poder mostrar que em 99% dos casos a súmula não tem a ver com o vídeo. Vimos que no vídeo o atleta está olhando para a bola o tempo inteiro e, ao perceber que o adversário está chegando, ele tenta se aproximar da bola e chega atrasado. Atinge o jogador do Vitória sem intenção. Disputa de bola normal e não precisava nem de amarelo. O atleta atingido não precisou de atendimento médico. O atleta Leandro Donizete errou, no máximo, o tempo da bola. Atleta leal. Peço primeiro a absolvição dele”, concluiu.

No entendimento da relatora o atleta não praticou a infração descrita na denúncia. “Voto para aplicar ao atleta uma partida de suspensão convolando em advertência desclassificada a conduta para o artigo 250”, justificou.

O Auditor Francisco Honório acompanhou a relatora na íntegra, enquanto os Auditores Marcelo Vieira e João Riche divergiram para absolver Leandro Donizete.

Com o empate o atleta foi absolvido. Conforme previsto no artigo 132 do CBJD, em casos de empate, prevalecerá a decisão mais favorável ao denunciado.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.