LEIA MAIS@ 22/09/2017 - 12h49 | Atletiba: processo julgado nesta sexta
LEIA MAIS@ 22/09/2017 - 12h04 | Comissão absolve Fla e Bota
LEIA MAIS@ 21/09/2017 - 16h11 | Atacante do Flu no STJD por jogada violenta
LEIA MAIS@ 21/09/2017 - 15h47 | Palmeiras, Willian e Luan denunciados
LEIA MAIS@ 19/09/2017 - 17h35 | Atletiba em pauta no STJD

Kleina suspenso por três jogos
12/09/2017 16h39 | STJD

Daniela Lameira
a A

Os Auditores da Segunda Comissão Disciplinar do STJD do Futebol puniram nesta terça, dia 12 de setembro, o técnico Gilson Kleina, da Ponte Preta, por conduta contrária à disciplina e desrespeitar a arbitragem na partida contra o Atlético/MG. Por unanimidade dos votos, o técnico recebeu três jogos de suspensão. A decisão cabe recurso.

Na súmula da partida o árbitro narrou que “aos 45 minutos do segundo tempo o Sr Gilson Kleina, técnico da equipe da Ponte Preta, por invadir o campo de jogo e protestar contra a arbitragem dizendo: ‘foi pênalti c*’. Após ser expulso ainda direcionou ao quarto árbitro as seguintes palavras: ‘vai tomar no c*, você é cagão, foi pênalti claro, vai se f*”. Antes de sair do gramado, o treinador ainda chutou um microfone que estava no chão.

No entendimento da Procuradoria, Kleina cometeu duas infrações distintas: uma ao desrespeitar a arbitragem e outra ao chutar o microfone, conduta contrária à ética e disciplina. Pelos fatos, a Procuradoria enquadrou o treinador da Ponte Preta por infração ao artigo 258 e ao inciso II do mesmo artigo, do CBJD.

Sem advogado presente, a Ponte Preta encaminhou defesa por escrito.

No entendimento da relatora do processo, Auditora Sônia Frúgoli Gilson Kleina cometeu infração passível de punição. Com base no artigo 258 e no inciso II, a Auditora aplicou três jogos de suspensão ao treinador da Ponte Preta. O voto foi acompanhado pelos Auditores Francisco Honório , Marcelo Vieira e pelo Presidente em exercício, Auditor Felipe Diego.

A decisão cabe recurso e pode chegar ao Pleno do STJD do Futebol, última instância nacional.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.