LEIA MAIS@ 17/11/2017 - 20h06 | Palmeiras: proibidas organizadas caracterizadas
LEIA MAIS@ 17/11/2017 - 14h20 | Santa Cruz: clube multado e integrantes suspensos
LEIA MAIS@ 16/11/2017 - 13h01 | Corinthians x Palmeiras: clubes e atletas punidos
LEIA MAIS@ 14/11/2017 - 13h02 | Jair Ventura advertido por invasão
LEIA MAIS@ 14/11/2017 - 12h43 | Goleiro do Oeste punido por injúria racial

Jair Ventura advertido por invasão
14/11/2017 13h02 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

Denunciado por invasão o técnico Jair Ventura foi julgado nesta terça, dia 14 de novembro, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol. Em sessão da Segunda Comissão Disciplinar os Auditores entenderam que houve infração e aplicaram a pena mínima ao técnico do Botafogo convertida em advertência. A decisão, proferida por unanimidade dos votos, cabe recurso. 

Segundo consta na súmula da partida contra o Vasco, realizada no dia 14 de outubro, o técnico da equipe do Botafogo foi expulso aos 49 minutos do segundo tempo por “invadir o campo de jogo, chutando a bola, quando o jogo estava parado. Após o término da partida, o mesmo invadiu o campo, tentando retirar seus jogadores, reclamando contra as decisões da arbitragem e dizendo as seguintes palavras: ‘eu nunca fui expulso. Porque você me expulsou”, escreveu o árbitro. 

Diante dos Auditores, o Procurador João Rafael Soares destacou que o treinador entrou durante a partida e depois entrou novamente para questionar o árbitro. “Reitero a denúncia pedindo a punição por infração ao artigo 258-B”, destacou o integrante da Procuradoria. 

Defensor do Botafogo, o advogado Aníbal Rouxinol Segundo lembrou que Jair jamais havia sido expulso e pediu a absolvição do comandante alvinegro. “O relato do árbitro da a entender que o técnico entrou em campo com o jogo em andamento e chutou a bola. O jogo estava parado e foi quase o último lance da partida. O jogador do Vasco chutou a bola na direção do Jair, que entrou e chutou a bola para onde seria cobrado a falta. Ele acelerou a cobrança para reinício do jogo. Após o fim do jogo ele entrou para tirar os atletas do Botafogo e não falou nada desrespeitoso. O treinador é primaríssimo e não prejudicou em nada o andamento do jogo”, finalizou. 

Relator do processo e presidente em exercício, o Auditor Felipe Diego destacou que não houve gravidade, mas que a infração foi caracterizada. “O que vimos na prova de vídeo é que a invasão efetivamente ocorreu. Apesar de não ter ocorrido dolo ou atrapalhado o andamento, a infração ocorreu. Voto pela aplicação de uma partida convolada em advertência”, justificou. 

Os Auditores Sônia Frúgoli, Francisco Honório e Marcelo Vieira acompanharam o relator para advertir Jair Ventura.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.