LEIA MAIS@ 23/08/2019 - 12h44 | Felipe Melo suspenso e Gregore absolvido
LEIA MAIS@ 22/08/2019 - 13h52 | Pleno reconsidera pedido parcial de Itair
LEIA MAIS@ 21/08/2019 - 16h21 | Felipe Melo e Gregore em pauta
LEIA MAIS@ 21/08/2019 - 10h57 | Ceará pede impugnação de partida
LEIA MAIS@ 19/08/2019 - 10h37 | STJD emite recomendação contra Homofobia

Inter x Palmeiras: denúncia em pauta
07/08/2019 10h04 | STJD

Daniela Pinho
a A

A Quarta Comissão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol julgará na próxima sexta, dia 9 de agosto as infrações ocorridas na partida entre Internacional e Palmeiras, pela Copa do Brasil. Os atletas D’Alessandro e Pedro Lucas, além do presidente Marcelo Medeiros, o vice de futebol Roberto Melo, o diretor executivo Rodrigo Caetano, um assessor de imprensa, um gandula e o próprio clube foram denunciados e correm risco de punição no STJD. A sessão está agendada para iniciar às 10h.

Os problemas ocorreram em partida realizada no dia 17 de julho, no Beira Rio. Expulsos em campo, o árbitro informou que D’Alessandro recebeu o segundo amarelo por reclamação desrespeitosa já nos acréscimos da partida. Já Pedro Lucas recebeu o vermelho direto por, segundo a súmula, invadir o campo após o fim do jogo e ofender o quarto árbitro dizendo: “Vocês são ladrões, safados, bando de filhos da p*, vieram nos prejudicar”.  Pedro teria entrado em campo e dito ainda ao arbitro principal: “Está satisfeito com a merda que fez? seu ladrão, safado”, escreveu o árbitro na súmula.

No campo de observações o árbitro informou ainda a expulsão do gandula Santiago Aguirre por retardar a reposição da bola e narrou a conduta do presidente e vice do Internacional:

“Fomos abordados pelos Srs. Marcelo Medeiros (presidente do S.C. Internacional) e Roberto Mello (vice presidente de futebol do S.C. Internacional), que de forma agressiva e acintosa, nos acompanharam até as proximidades do vestiário de arbitragem, proferindo repetidamente as seguintes palavras: "safado, sem vergonha, cagalhão, ladrão, a tua família tem vergonha de ti.", Informo que nos sentimos ofendidos diante de tais atitudes. Ressalto que ambos tiveram que ser contidos pelo policiamento, que nos conduziram até a porta do vestiário”.

Marcelo Medeiros ainda concedeu entrevista após o fim do jogo criticando a atuação da arbitragem.

Após a partida a Procuradoria teve acesso a um vídeo em que Rodrigo Caetano, Direto de Futebol e o Assessor de Imprensa Rafael Antoniutti tentam ingressar na sala do VAR após marcação de pênalti a favor do Palmeiras.  Com insultos contra a arbitragem, Caetano conseguiu entrar na área restrita, enquanto o assessor seguiu com palavras desrespeitosas questionando a atuação da arbitragem.

Dos artigos enquadrados:

Com base na súmula e na prova de vídeo, a Procuradoria denunciou todos os envolvidos por infração ao Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

D’Alessandro e o assessor Rafael Antoniutti: foram enquadrados no artigo 258, inciso II do CBJD, por desrespeitar a arbitragem. O atleta pode ser suspenso por uma a seis partidas, enquanto o assessor corre risco de punição por 15 a 180 dias.

Pedro Lucas: O jogador responderá por dupla infração: Ofender a arbitragem (artigo 243-F) e invadir o campo de jogo (artigo 258-B). A primeira prevê suspensão de quatro a seis partidas e multa entre R$ 100 e R$ 100 mil, enquanto pela invasão o atleta corre risco de suspensão por uma a três partidas.

Rodrigo Caetano e Santiago Aguirre, gandula: Ambos responderão por conduta contrária à disciplina e ética desportiva. A infração ao artigo 258 prevê suspensão de uma a seis partidas ao dirigente e de 15 a 180 dias ao gandula.

Marcelo Medeiros, presidente do Internacional: O presidente do clube foi denunciado por ofender a arbitragem (artigo 243-F) e por conduta contrária à disciplina e ética (artigo 258) pela entrevista coletiva concedida após o jogo. Pela ofensa, Medeiros corre risco de suspensão por 15 a 90 dias e multa de até R$ 100 mil. Já pela conduta antidesportiva, pode ser suspenso por 15 a 180 dias.

Roberto Mello, vice-presidente: Roberto responderá por ofender a arbitragem em conduta descrita no artigo 243-F do CBJD, que prevê suspensão de 15 a 90 dias e multa que pode variar entre R$ 200 e R$ 100 mil.

Internacional: Responsável pela contratação e atuação do gandula nas partidas, o Internacional será julgado com base no artigo 191, inciso III do CBJD por deixar de cumprir o artigo 7, inciso VIII do Regulamento Geral de Competições. A pena é de multa mínima de R$ 100 e máxima de R$ 100 mil.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.