LEIA MAIS@ 26/06/2019 - 10h34 | STJD nega pedido de impugnação da Chape
LEIA MAIS@ 25/06/2019 - 20h07 | Democrata é absolvido em última instância
LEIA MAIS@ 25/06/2019 - 19h28 | Pleno julga prescrito processo do Villa
LEIA MAIS@ 25/06/2019 - 18h20 | Pleno mantém punição ao Bahia de Feira
LEIA MAIS@ 25/06/2019 - 12h18 | São Paulo absolvido e Arboleda advertido

Goleiro do Bahia tem suspensão mantida
29/11/2018 14h28 | STJD

Daniela Lameira / Site STJD
a A

O goleiro do Bahia, Douglas Friedrich, teve recurso negado no Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol. Em julgamento realizado nesta quinta, dia 29 de novembro, os Auditores mantiveram a pena de dois jogos de suspensão ao goleiro por jogada violenta na partida contra o Vasco, pela Série A. A decisão foi proferida por seis votos pela manutenção contra um Auditor que reduzia para uma partida.

Douglas foi expulso aos 28 minutos do primeiro tempo na partida contra o Vasco após entrada dura em Rios dentro da área. Denunciado por jogada violenta o arqueiro do Bahia foi julgado e punido com dois jogos de suspensão em primeira instância. O Bahia recorreu e o caso chegou ao Pleno, última instância nacional.

No Pleno, os Auditores assistiram o vídeo com o lance que originou a expulsão. Logo após, a defesa sustentou.

“O Bahia chega a última rodada brigando por uma vaga na Sul-Americana. No jogo em questão, o Bahia perdeu para o Vasco, teve seu goleiro punido e que já cumpriu a automática. O pedido do clube é para aplicação da pena mínima prevista no artigo 254”, pediu o advogado Paulo Rubens Máximo.

Para o relator do processo, Auditor Otávio Noronha, “a primariedade foi muito bem observada no julgamento da Comissão. Jogada forte e a entrada chega a dobrar a perna. Colocou em risco a integridade física do atleta adversário. Nego provimento ao recurso do clube mantendo a punição e dois jogos ao atleta”, justificou.

O Auditor João Bosco divergiu para dar provimento ao recurso da defesa para reduzir a pena para uma partida de suspensão.

Já os Auditores Décio Neuhaus, Mauro Marcelo de Lima e Silva, Antônio Vanderler, Luiz Felipe Bulus e o Presidente Paulo César Salomão Filho acompanharam o relator em duas partidas de suspensão.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.