LEIA MAIS@ 03/12/2021 - 19h20 | Gre-Nal: Patrick e Bruno Cortês punidos
LEIA MAIS@ 03/12/2021 - 17h15 | Deyverson, Fred e Dudu punidos
LEIA MAIS@ 03/12/2021 - 13h45 | Athlético absolvido
LEIA MAIS@ 02/12/2021 - 15h55 | STJD finaliza intervenção no TJD/MT
LEIA MAIS@ 02/12/2021 - 12h34 | FLA x BAH: Comissão pune infrações

Cuiabá: Marllon Borges punido
26/10/2021 12h00 | STJD

Divulgação / Site STJD
a A

O Cuiabá teve o zagueiro Marllon Borges punido com uma partida de suspensão pela Segunda Comissão Disciplinar do STJD do Futebol. Denunciado por jogada violenta, o jogador foi julgado nesta terça, 26 de outubro, e a decisão de primeiro grau cabe recurso.

Conforme descrito na súmula do jogo entre Cuiabá e Fluminense, no dia 20 de setembro, pela Série A, aos 50 minutos do segundo tempo, o zagueiro foi expulso por golpear o rosto do adversário usando o cotovelo, na disputa de bola. A Procuradoria enquadrou Marllon no artigo 254 do CBJD, por praticar “jogada violenta”.

O zagueiro foi ouvido em depoimento pessoal.

“Fui pego de surpresa, até porque não teve maldade nenhuma, fui dar o bote, mas acabei errando, escorreguei e acabei acertando o rosto dele. Não foi intenção nenhuma”, afirmou o jogador.

O advogado Osvaldo Sestário destacou a falta de dolo no lance.

"O árbitro não consultou o VAR. O VAR que chamou ele. Ele seguiu o jogo, não viu nada. Eu prefiro ficar com o julgamento do árbitro em campo. Tenho minhas dúvidas se houve realmente algo agressivo para o jogador ficar caído ali. Não vejo maldade, não vi que ele cometeu uma falta sequer para cartão amarelo. Ele foi na jogada, acabou interceptando por baixo, mas acertou o braço por cima e o lance claramente mostra isso”.

O relator Washington Rodrigues absolveu Marllon. O auditor Carlos Eduardo Pontes aplicou duas partidas de suspensão, mas ambos ficaram vencidos. Os demais auditores, Diogo de Azevedo Maia, Iuri Engel e o presidente Felipe Silva, votaram pela pena de um jogo de suspensão.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.