LEIA MAIS@ 27/06/2017 - 19h25 | São Raimundo é denunciado por escalação irregular
LEIA MAIS@ 23/06/2017 - 18h05 | Julgamento do atacante Kleber é agendado
LEIA MAIS@ 23/06/2017 - 15h57 | Pleno no I Seminário do TJD/GO
LEIA MAIS@ 23/06/2017 - 14h19 | Milton Mendes e Vasco absolvidos
LEIA MAIS@ 23/06/2017 - 10h01 | Pleno visita Centro de Reabilitação em Goiânia

Brusque e Corinthians denunciados por sinalizador

Daniela Lameira
13/03/2017 12h26

Clubes serão julgados por infração ocorrida na Copa do Brasil


a A

Os clubes Brusque/SC e Corinthians serão julgados no STJD do Futebol por infração ocorrida na Copa do Brasil. Pelo uso de sinalizadores no confronto entre as equipes, os clubes responderão por não prevenirem e reprimirem o fato e correm risco de receberem multa alta. O processo está na pauta da Terceira Comissão Disciplinar agendada para a próxima quarta, dia 15 de março, a partir das 14h.

Na súmula da partida realizada no dia 1 de março, pela Copa do Brasil, o árbitro narrou um sinalizador aceso ao final da partida na arquibancada onde estava localizada a torcida do Corinthians. Ainda de acordo com o relatório da arbitragem, o sinalizador apagou sem a necessidade de utilizar o sistema de som e policiamento e não foi mais aceso.

Mandante da partida, o Brusque era responsável por prevenir e reprimir desordens no estádio. Já o Corinthians também foi denunciado por ser responsável pelo torcedor infrator. Os clubes foram denunciados pela Procuradoria da Justiça Desportiva com base no artigo 213, inciso I do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

Art. 213. Deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir:

I - desordens em sua praça de desporto;  

PENA: multa, de R$ 100 a R$ 100 mil.

§ 2º Caso a desordem, invasão ou lançamento de objeto seja feito pela torcida da entidade adversária, tanto a entidade mandante como a entidade adversária serão puníveis, mas somente quando comprovado que também contribuíram para o fato. 


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.