LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 15h38 | Atlético/PR multado por descumprir RGC
LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 15h10 | Comissão absolve Flamengo e Bandeira
LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 13h42 | Neilton, Rodrigo Carpegiani e dirigente punidos
LEIA MAIS@ 19/10/2018 - 11h44 | STJD notifica CBF dos inadimplentes
LEIA MAIS@ 16/10/2018 - 18h09 | Relator indefere reconsideração do Cruzeiro

Atletas e auxiliar do Vila Nova serão julgados no STJD
08/08/2018 18h53 | STJD

CBF
a A

O Vila Nova entrará em cena no STJD do Futebol para defender três integrantes expulsos na partida contra o Paysandu. Na próxima terça, dia 14 de agosto, os atletas Mateus Pasinato e Elias e o treinador de goleiros Jonas Sampaio de Almeida Filho serão julgados por infrações na Série B do Campeonato Brasileiro e correm risco de serem punidos com suspensão. O processo está na pauta da Segunda Comissão Disciplinar em sessão agendada para às 10h.

O duelo entre Paysandu e Vila Nova marcou a 15ª rodada da Série B. Primeiro expulso, o goleiro do Vila, Mateus Pasinato recebeu o segundo amarelo no segundo tempo por retardar o reinício da partida na cobrança de tiro de meta.

Já Elias recebeu o vermelho direto. De acordo com a súmula, o camisa 20 do Vila,que estava no aquecimento, invadiu o campo de jogo após a marcação de um pênalti contra sua equipe e reclamou de forma desrespeitosa contra a arbitragem . Após ser expulso interferiu a partida impedindo uma reposição de bola da equipe adversária chutando a bola para longe.

Por fim, o árbitro expulsou ainda o treinador de goleiros do Vila Nova, Jonas Sampaio, por reclamação desrespeitosa contra as decisões da arbitragem.

A Procuradoria enquadrou Matheus Pasinato por conduta contrária à disciplina, artigo 258 do CBJD e o treinador de goleiros por reclamação desrespeitosa descrita no artigo 258, inciso II do CBJD. Já Elias responderá por tripla infração: conduta contrária à disciplina (258 do CBJD), reclamação desrespeitosa (258, inciso II do CBJD) e invasão de campo (258-B do CBJD). Cada infração prevê suspensão de uma a seis partidas.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.