LEIA MAIS@ 15/05/2019 - 18h34 | Juventude é multado por injúria racial
LEIA MAIS@ 15/05/2019 - 16h12 | Comissão suspende julgamento de Itair
LEIA MAIS@ 14/05/2019 - 17h36 | Grêmio é denunciado por injúria racial
LEIA MAIS@ 10/05/2019 - 19h22 | Presidente suspende Itair Machado
LEIA MAIS@ 10/05/2019 - 18h46 | Juve x Bota: Jogadas violentas e injúria racial

Altos punido por invasão de campo
11/03/2019 13h12 | STJD

Daniela Pinho / Site STJD
a A

O Altos do Piauí foi punido nesta segunda dia 11 de março, no STJD do Futebol pela invasão de campo após o jogo contra o Santos, pela Copa do Brasil. Denunciado ´por não prevenir e reprimir a conduta, o clube foi julgado e punido com multa de R$ 1 mil pelos Auditores da Primeira Comissão Disciplinar. A decisão, proferida por unanimidade dos votos, cabe recurso. 

A infração aconteceu na primeira fase da Copa do Brasil quando a equipe do Santos venceu o Altos no Piauí por 7 a 1. Após o apito final torcedores invadiram o campo e cercaram alguns jogadores do Santos. Na súmula o árbitro informou a invasão e que observou a tentativa de torcedores em tirar fotos e conseguir parte do uniforme dos atletas visitantes. 

Mandante da Partida o Altos foi denunciado pela Procuradoria da Justiça Desportiva por infração ao artigo 213, inciso II do CBJD por não prevenir e reprimir a invasão de campo. 

Defensor do Altos, o advogado Isaac Chaficks sustentou o pedido de absolvição do clube. “Os torcedores foram pedir camisa, tirar foto, tietar. Não haviam pessoas uniformizadas. Não eram organizadas e sim molecada apaixonada pelos jogadores. Jogo dessa magnitude pra cidade as pessoas vão assistir ao Santos. A defesa pede a absolvição devido ausência de gravidade e qualquer animosidade”, justificou o advogado. 

Apesar das explicações, o relator processo, Auditor Douglas Blaichman entendeu que a infração foi configurada. “O mando de campo é do Altos. O clube é reincidente.  Entendo que era obrigação do clube contratar seguranças para evitar. A invasão de campo é um ato grave pra mim. Aplico multa de R$ 1 mil”, explicou. 

O voto do relator foi acompanhado pelos Auditores Gustavo Pinheiro, Alexandre Magno, Rafael Feitosa e pelo presidente Lucas Rocha.


As informações de cunho jornalístico produzidas pela Assessoria de Imprensa do STJD não produzem efeito legal.